Kevin Spacey se declara inocente de acusações de agressão sexual

Vencedor de dois Oscar, o ator responde por diversas acusações

Publicado quinta-feira, 14 de julho de 2022 às 09:09 h | Atualizado em 14/07/2022, 09:09 | Autor: AFP
Após denúncias, Spacey perdeu seu posto de protagonista na série House of Cards
Após denúncias, Spacey perdeu seu posto de protagonista na série House of Cards -

O ator americano Kevin Spacey, alvo de quatro acusações de agressões sexuais contra três homens, se declarou inocente à justiça britânica durante uma audiência preparatória nesta quinta-feira em Londres.

O artista de 62 anos, que teve a carreira arruinada por acusações de agressão sexual nos Estados Unidos em 2017, retiradas desde então, compareceu a um tribunal de Londres para responder sobre supostos atos ocorridos entre 2005 e 2013.

Depois de ser deixado em liberdade ao final de uma primeira audiência, em 16 de junho, Spacey se declarou inocente nesta quinta-feira das supostas agressões cometidas, em sua maioria no bairro londrino de Lambeth, onde fica o famoso teatro Old Vic, do qual foi diretor artístico entre 2004 e 2015.

Duas acusações apresentadas se referem a agressões sexuais cometidas em março de 2005 em Londres contra o mesmo denunciante, que hoje tem mais de 40 anos. 

Outra agressão sexual envolveu um segundo denunciante em agosto de 2008 - atualmente a pessoa tem mais de 30 anos - e implica atividades sexuais com penetração sem consentimento.

O ator é acusado por uma quarta agressão sexual, em abril de 2013 em Gloucestershire, sudoeste da Inglaterra, contra um terceiro homem, também na casa dos 30 anos.

"O senhor Spacey nega veementemente qualquer tipo de crime neste caso", afirmou seu advogado, Patrick Gibbs, em 16 de junho. 

Vencedor de dois Oscar, de melhor ator por "Beleza Americana" (1999) e ator coadjuvante por "Os Suspeitos" (1995), Spacey também era o protagonista da série "House of Cards", da Netflix.

A onda de acusações que acabou com a carreira de sucesso de Spacey correspondeu ao surgimento do movimento #MeToo, que nasceu em 2017 do caso do poderoso produtor de cinema americano Harvey Weinstein.

Ele foi inicialmente acusado em 2017 no estado de Massachusetts (EUA) por ter colocado as mãos nas partes íntimas de um jovem de 18 anos em um bar, depois de embriagá-lo, em julho de 2016. Estas acusações foram retiradas em 2019.

A última aparição de Spacey no cinema aconteceu em 2018, com a estreia do filme "O Clube dos Meninos Bilionários". 

Ele foi demitido de "House of Cards" e ficou de fora de um filme de Ridley Scott "Todo o Dinheiro do Mundo", no qual foi substituído pelo ator canadense Christopher Plummer.

Em novembro de 2021, Spacey foi condenado a pagar US$ 31 milhões a MRC, produtora de "House of Cards", como compensação pela perda de renda atribuída à sua saída da bem-sucedida série de intrigas políticas em Washington, na qual interpretava o presidente inescrupuloso Frank Underwood. 

No entanto, ele fez um tímido retorno ao cinema em junho de 2021, com as filmagens na cidade italiana de Turim de um longa-metragem dirigido pelo italiano Franco Nero e com o título "L'uomo che disegno Dio", o qual, segundo a produtora, tem um papel secundário.

Publicações relacionadas