Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > OPINIÃO
Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
08/11/2023 às 5:00 - há XX semanas | Autor: Editorial

EDITORIAL

Ameaça de volta

Confira o Editorial do Jornal A TARDE desta quarta-feira, 8

Imagem ilustrativa da imagem Ameaça de volta
-

Mandam a prudência e a moderação, virtudes apropriadas a quem concebe a vida como bem maior, o comparecimento aos endereços divulgados para voltar à carga contra a Covid-19, com a imunização massiva, após alarme de epidemia.

Quem já está no prazo da vacina bivalente não pode hesitar em oferecer o braço, pois o tempo de duvidar ficou no passado: a doença letal ameaça voltar firme se não for enfrentada com vigor e responsabilidade pela cidadania.

Os poderes públicos, unidos pela emergência de manter o controle da enfermidade, estão sintonizados em um só “dial”, o de proteger a população a fim de evitar um indesejado retrocesso e seus efeitos gerais devastadores.

A Secretaria de Saúde do Estado trabalha para monitorar o aumento dos casos, passando de 25 ao dia para quase o dobro, comparando-se a análise dos períodos encerrados em 24 de setembro e 28 de outubro, respectivamente.

Os números saltitantes são atribuídos à baixa cobertura vacinal, em contexto de irracional relaxamento por parte de autoproclamados “imunes”, faltando ao cuidado consigo mesmos, e consequentemente com a cidade onde vivem.

Às vésperas do período das aglomerações, por conta das festas de final de ano e ampliação da atividade turística, o Sars-Cov-2 não tem como mandar avisar, por ser um microorganismo, mas as pessoas devem persuadir-se do alto risco.

Já a Prefeitura de Salvador, em acordo de parceria com o governo estadual, intensificou a campanha, com especial atenção para o momento de alerta, bastando apenas ao beneficiário verificar se chegou a data de comparecimento.

Apenas um entre quatro moradores acautelou-se contra a recidiva da doença, embora continue o vírus circulando, gerando uma sensação de loteria às avessas, na qual ninguém em sã consciência gostaria de ganhar tal “prêmio”.

Chamado “happy hour” (hora feliz, em português), o movimento desenha as dimensões cívica e política, uma vez serem as imunizadas e os imunizados, agentes de proteção de seus corpos e de familiares e vizinhos queridos.

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Cidadão Repórter

Contribua para o portal com vídeos, áudios e textos sobre o que está acontecendo em seu bairro

ACESSAR

Publicações Relacionadas

A tarde play
Play

Simplificando a ortografia e o ensino

x

Assine nossa newsletter e receba conteúdos especiais sobre a Bahia

Selecione abaixo temas de sua preferência e receba notificações personalizadas

BAHIA BBB 2024 CULTURA ECONOMIA ENTRETENIMENTO ESPORTES MUNICÍPIOS MÚSICA POLÍTICA