Mauro Cid chega à PF para depor sobre suposta tentativa de golpe | A TARDE
Atarde > Política > Brasil

Mauro Cid chega à PF para depor sobre suposta tentativa de golpe

Agentes de segurança buscam confrontar informações reveladas em outras oitivas

Publicado segunda-feira, 11 de março de 2024 às 16:02 h | Atualizado em 11/03/2024, 16:08 | Autor: Da Redação
Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Atos de 8 de Janeiro de 2023 (CPMI - 8 de Janeiro) realiza reunião para ouvir depoimento do tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid, que foi ajudante de ordens do ex-presidente da República. Cid é suspeito de articular uma intervenção militar contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após as eleições do ano passado. O colegiado ainda analisa 12 requerimentos.

À mesa, tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos Atos de 8 de Janeiro de 2023 (CPMI - 8 de Janeiro) realiza reunião para ouvir depoimento do tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid, que foi ajudante de ordens do ex-presidente da República. Cid é suspeito de articular uma intervenção militar contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após as eleições do ano passado. O colegiado ainda analisa 12 requerimentos. À mesa, tenente-coronel Mauro César Barbosa Cid. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado -

O ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL), o tenente-coronel Mauro Cid, chegou à sede da Polícia Federal, em Brasília, para prestar depoimento sobre a suposta tentativa de golpe de Estado. Desta vez, os agentes de segurança buscam confrontar as informações reveladas na investigação em outras oitivas, como a do ex-comandante do Exército Marco Antônio Freire Gomes.

As investigações fazem parte da Operação Tempus Veritatis, deflagrada em janeiro. No último dia 22 de fevereiro, os investigadores ouviram, de maneira simultânea, 23 pessoas, em Brasília, no Rio, em São Paulo, no Paraná, em Minas Gerais, no Mato Grosso do Sul e no Espírito Santo.

Entre as personalidades que prestaram depoimentos estão o ex-ministro da Justiça Anderson Torres; o ex-assessor de Assuntos Internacionais da Presidência Filipe Martins; o presidente do PL Valdemar da Costa Neto; o ex-assessor Tércio Arnaud; o assistente do Comando Militar Sul Bernardo Romão Correa Netto; além do coronel da reserva Cleverson Ney Magalhães.

Publicações relacionadas