Viagem de Bolsonaro “força” Mourão e Lira a saírem do país | A TARDE
Atarde > Eleições 2024 > Eleições presidenciais

Viagem de Bolsonaro “força” Mourão e Lira a saírem do país

Em plena campanha, vice-presidente e presidente da Câmara vão ao exterior para não ficarem inelegíveis

Publicado quinta-feira, 15 de setembro de 2022 às 12:03 h | Atualizado em 15/09/2022, 12:18 | Autor: Da Redação
Quando um presidente da República sai do país, o cargo passa a ser ocupado por alguém da linha de sucessão
Quando um presidente da República sai do país, o cargo passa a ser ocupado por alguém da linha de sucessão -

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos-RS), e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), precisarão viajar ao exterior, já que, com a ida de Jair Bolsonaro (PL) para o Reino Unido e Estados Unidos, eles seriam o primeiro e o segundo na linha de sucessão presidencial do Brasil, respectivamente. O exercício do cargo, conforme a lei eleitoral, poderia torná-los inelegíveis. Mourão disputa o Senado no Rio Grande do Sul, enquanto Lira tenta ser reeleito deputado federal por Alagoas.

Quando um presidente da República sai do país, o cargo passa a ser ocupado por alguém da linha de sucessão. Dessa vez, será o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG-PSD), que não disputa a eleição esse ano por estar na metade do mandado de senador, que diferente dos outros cargos, dura oito anos. Pacheco assumirá a chefia do Executivo enquanto Bolsonaro viaja na noite deste sábado, 17, para ir ao velório da rainha Elizabeth II, em Londres, e para assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, nos dias 19 e 20, onde discursará.

Mourão viajará ao Peru e perderá o Dia do Gaúcho, em 20 de setembro, enquanto Lira chega em Nova York antes de Bolsonaro, já no sábado, 17, para retornar na terça junto com a comitiva presidencial.

Publicações relacionadas