PTB terá candidatos próprios a governador e senador

Com exclusividade, presidente estadual do PTB, Gean Prates, fez revelação ao grupo A Tarde

Publicado quarta-feira, 13 de abril de 2022 às 08:41 h | Atualizado em 13/04/2022, 12:48 | Autor: Lucas Franco
Gean Prates disse que ato antidemocrático é “conversa para boi dormir”
Gean Prates disse que ato antidemocrático é “conversa para boi dormir” -

O presidente do PTB na Bahia, Gean Prates, anunciou o fim das conversas com o pré-candidato a governador João Roma (PL) para compor uma chapa nas eleições, que têm o primeiro turno programado para 2 de outubro. De acordo com ele, em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM (103.9), nesta quarta-feira, 13, o PTB terá candidato próprio ao Governo do Estado e ao Senado.

“Talvez o [ex] ministro João Roma não tenha feito essa opção [de se aliar ao PTB] por conta da máquina partidária. Talvez ele quisesse estar conosco, mas por conta das engrenagens políticas, não foi”, disse Gean Prates. 

Durante a entrevista, Gean Prates exaltou o presidente nacional do seu partido, Roberto Jefferson, e fez críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Morares, e ao presidente nacional do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto. Na entrevista, Prates disse que desafiou Roma a comparar o presidente nacional do partido do ex-ministro [PL] com o presidente nacional do PTB.

“O mensalão foi concebido e arquitetado pelo PT, com a conivência de Valdemar Costa Neto. Roberto [Jefferson] denunciou a existência do mensalão”, enxerga o presidente estadual do PTB.

A prisão de Roberto Jefferson em agosto no ano passado no inquérito das milícias digitais, que é continuidade do inquérito dos atos antidemocráticos, no ponto de vista de Gean Prates, faz do presidente nacional do PTB um preso político.

“[Roberto Jefferson] está preso em casa tal qual um cachorro. Essa proibição imposta pelo STF na pessoa de Alexandre de Moraes se estende ao partido. Mas se eu tivesse medo, eu não teria chegado onde eu cheguei. Não tenho medo de decisões arbitrárias”.

O presidente estadual do PTB disse que ato antidemocrático é “conversa para boi dormir”.

“A visão da democracia é historicamente dos que detêm o poder. Tem base legal a decisão do ministro Alexandre de Moraes? Não tem. Roberto não atentou à democracia. Ele exerceu seu direito de se expressar. O que ele falou é o que está entalado na garganta de muitos brasileiros. É a verdade inconveniente”, disse Prates, que reiterou apoio ao presidente da República em exercício, Jair Bolsonaro (PL), em todos os estados, sem uma única dissidência. “Ao contrário dos outros partidos”, alegou. 

Ao fazer críticas aos governos estaduais do PT e aos governos do grupo de Antônio Carlos Magalhães (ACM) nas últimas décadas, Prates disse que seu grupo “não se rende às práticas deletérias rotineiramente praticadas na política” e prometeu “oferecer dignidade, respeito à coisa pública, não roubar e coragem de dar nome aos bois”.

Assista a entrevista na íntegra no vídeo abaixo:

 

A Tarde FM
 

Publicações relacionadas