Uso de cílios postiços requer prudência | A TARDE
Atarde > Saúde

Uso de cílios postiços requer prudência

Especialistas alertam para alta de infecções oftalmológicas

Publicado terça-feira, 12 de dezembro de 2023 às 06:00 h | Autor: Priscila Dórea
A aplicação de cílios artificiais pode se tornar um risco à saúde ocular, principalmente devido à cola utilizada no procedimento estético
A aplicação de cílios artificiais pode se tornar um risco à saúde ocular, principalmente devido à cola utilizada no procedimento estético -

Volumosos, espaçados, cerdas cruzadas, tufos, fio a fio. A aplicação de cílios postiços e a extensão de cílios cruzaram a linha de “moda do momento”, e se tornaram parte integrante de muitas maquiagens. No entanto, tais procedimentos têm aumentado os casos de infecções oftalmológicas, principalmente por causa da cola utilizada. “É algo tão inocente. Só queremos ficar bonitas, mas não imaginamos o risco que estamos correndo”, afirma Melissa (nome fictício), que está internada há 20 dias por causa de uma infecção que pegou após usar cílios postiços em um casamento.

Com um diagnóstico de celulite periorbital, ela passou por duas cirurgias – que lhe renderam dois pontos perto dos olhos – e diversas drenagens para retirar o pus no local –, além de estar tomando quatro antibióticos diferentes. A maquiagem para o casamento foi feita em grupo em um salão e Melissa suspeita que o compartilhamento de produtos, junto ao fato dela ter dormido com os cílios, foram a razão da infecção. A previsão é que ela receba alta no próximo final de semana, mas o caos criado pelos cílios postiços não acaba aí.

“Vou entrar em internamento domiciliar e três vezes ao dia funcionários do hospital irão vir à minha casa para me medicar. Vou com o cateter do braço para casa. Ele não pode ser molhado e não há previsão para que seja retirado, pois o tratamento pode durar de quatro meses a um ano. Estou simplesmente horrorizada com essa situação, minha vida foi totalmente afetada por causa disso”, lamenta Melissa.

A celulite periorbital é, na realidade, muito comum, mas foi agravada ao encontrar um antigo procedimento de Melissa: um preenchimento de olheira, o qual ela pensou ter sido feito com ácido hialurônico, mas que na verdade recebeu metacril – substância que pode migrar de posição e ser sítio de infecções. A infecção dos cílios postiços “ativou” de forma feroz a infecção “adormecida” do metacril, tornando o caso dela muito mais difícil de tratar.

“É muito comum fazer um procedimento após recomendações seguidas de uma lista de pessoas que não tiveram problema algum, mas é um risco que todos correm. A situação dela foi bem específica, mas deve servir de alerta para as pessoas pensarem na melhor forma de realizar esses procedimentos, assim como procurar orientação e bons profissionais”, alerta o oftalmologista Rodrigo Torres, um dos médicos que está tratando Melissa.

Cuidados

Proprietária do Studio Fernanda Rocha (@f.rochadesign) e lash designer, Fernanda Rocha salienta a importância de escolher bons profissionais. “Temos o maior cuidado, por exemplo, de não aplicar a cola diretamente na pele durante as extensões. As pessoas precisam buscar bons profissionais pensando em sua saúde e na durabilidade do procedimento, mas também precisam seguir à risca as recomendações quanto à limpeza desses cílios, que devem ser lavados delicadamente e ao menos uma vez ao dia, no caso das extensões”, conta.

Oftalmologista especialista em pálpebras e cirurgia plástica ocular, e representante da Sociedade de Oftalmologia da Bahia, Larissa Vasconcelos explica que problemas causados por extensão de cílios são comuns e já fazem parte do seu dia a dia. “Certa vez atendi uma paciente com dor intensa nos olhos e quando fomos avaliar tinha cola grudada na parte superior da córnea. Se o tratamento não fosse instituído precocemente, ela poderia ter desenvolvido uma úlcera de córnea, alteração que pode levar até a cegueira”, lembra.

Por isso que, para quem deseja realizar extensão de cílios, os conselhos dela são, em primeiro lugar, buscar profissionais capacitados que utilizem materiais de qualidade. “Deem preferência à técnica fio a fio; higienize diariamente as pálpebras com produtos específicos ou shampoo neutro infantil e água morna. E, por fim, no caso das extensões, as remova no máximo em 10,15 dias. Com todos os cuidados citados anteriormente, esse é o tempo limite de durabilidade para um uso seguro dos cílios”, diz ela.

Publicações relacionadas