Acusados de matar músico são condenados a mais de 30 anos de prisão

Publicado quinta-feira, 05 de setembro de 2019 às 20:45 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Da Redação | Foto: Edilson Lima | Ag. A TARDE

A Justiça condenou a mais de 30 anos de prisão Jefferson Silva de Souza, conhecido como “Neném”, e Railan Conceição da Silva, o “Zói de Gato”, por matar a tiros o músico Josino Eduardo Santos Rodrigues e amigo dele, Marivaldo Lima dos Santos, além da tentativa de homicídio contra o irmão Eduardo Josino Santos Rodrigues.

O crime aconteceu em 5 de março de 2016, no Parque Bela Vista, bairro de Brotas, em Salvador. O caso ganhou repercussão pelo fato de os percussionistas e gêmeos Josino Eduardo e Eduardo Josino terem trabalhado com grandes nomes da música baiana,como Carlinhos Brown, Márcio Victor, Caetano Veloso, Saulo Fernandes, Ivete Sangalo e Daniela Mercury.

De acordo com informações do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), o julgamento foi realizado na quarta-feira, 4, pelo Tribunal de Júri de Salvador, acatando a denúncia do Ministério Público estadual. A sentença foi proferida pela juíza Gelzi Maria Almeida Souza.

Jefferson Souza cumprirá 31 anos, dez meses e 16 dias de prisão. Já Railan da Silva pegou 33 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado. Eles ficarão reclusos na Penitenciária Lemos Brito, na Mata Escura, onde já estavam presos preventivamente.

Atentado

No dia do crime, por volta das 20h, os acusados surpreenderam as vítimas na rua Alto do Saldanha, onde conversavam com amigos. Segundo as investigações, o crime foi motivado pela crença dos condenados que os gêmeos seriam informantes da polícia e forneciam dados sobre a prática de crimes relacionados, principalmente, ao tráfico de drogas.

Publicações relacionadas