Assembleia de motoristas de app tem baixa adesão na capital

Trabalhadores reivindicam aumento na porcentagem do valor da corrida repassado

Publicado terça-feira, 29 de março de 2022 às 11:53 h | Atualizado em 29/03/2022, 13:18 | Autor: Daniel Brito
Assembleia de motoristas por aplicativo em Salvador
Assembleia de motoristas por aplicativo em Salvador -

Como parte de um movimento nacional, motoristas de aplicativo pararam as atividades nesta terça-feira, 29, em Salvador. As categorias pedem um aumento na porcentagem do valor da corrida repassada pelas plataformas aos trabalhadores. 

De acordo com a Cooperativa Mista de Motorista e Mototaxistas por Aplicativo (Coopmmap), organizadora da mobilização na capital baiana, foi aplicado, no último mês, um reajuste de 6,5% na tarifa de corridas da Uber aos usuários devido ao aumento no preço dos combustíveis. Porém, os motoristas seguem sem receber nenhum incremento nesse valor repassado.

A assembleia realizada na Balança do Centro Administrativo da Bahia (CAB) teve pouca movimentação. Cerca de 50 pessoas estiveram presentes no local. Para Jaison Paiva, motorista de aplicativo há três anos e um dos organizadores da manifestação, a adesão menor do que o esperado se deu por conta da paralisação do transporte por ônibus, que aumentou a demanda pelo serviço particular.

"A necessidade do aplicativo, então, foi muito grande. Então os motoristas aproveitaram porque vivem disso, não criticamos porque houve uma alta demanda", disse, em entrevista ao Portal A TARDE. Apesar da pouca presença, havia a expectativa da chegada de mais trabalhadores. Essencialmente, a campanha consistia em causar um "apagão" nas plataformas com os motoristas desligando os aplicativos.

O presidente da Coopmmap, Vick Passos, que liderou a assembleia, concordou com a avaliação de Jaison e disse que o baixo movimento já era esperado. "Pelo menos das 4h até às 8h deu uma tarifa dinâmica muito alta. E com o valor das tarifas subindo, é importante também que eles estejam rodando para receber", completou.

Ainda de acordo com Passos, caso as empresas não atendam às reivindicações, a desistência dos motoristas em relações às plataformas pode crescer. "40% deles já desistiram de exercer a atividade porque não conseguem arcar com os custos. Não está sendo interessante para nós", revela.

Reivindicações:

- Fixar a porcentagem que a Uber recebe em 20%;

- Reajuste do valor do quilômetro para todas as corridas: Uber X (R$ 2), Comfort (R$ 2,40) e Black (R$ 3,20);

- Cobrança de taxa de deslocamento até o passageiro, para distâncias superiores a 2km;

- Adicional de 25% para viagens a partir de 30 km;

- Melhorias e bolsões em aeroportos (áreas de embarque e desembarque);

- Melhorar os incentivos para os motoristas com melhor pontuação;

- Câmera em todos os carros de motoristas mulheres;

- Contato direto com o suporte por telefone, para todas as categorias;

- Extratos semanais contendo data, número de corrida, km rodado, valor e taxa.

Publicações relacionadas