Bruno não descarta medidas para induzir vacinação e mantém conversas por Carnaval

Publicado quarta-feira, 24 de novembro de 2021 às 09:44 h | Atualizado em 24/11/2021, 09:49 | Autor: Daniel Genonadio

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), não descarta impor, ainda em 2021, medidas que induzam as pessoas a se vacinarem contra a Covid-19. Nesta semana, a Prefeitura relatou a baixa procura para vacinação com os atrasados e tem reforçado a necessidade da população procurar os pontos de imunização. O chefe do Executivo municipal, no entanto, não especificou quais medidas serão tomadas.

>> Bruno Reis comenta ato pró Carnaval e espera reunião com Rui Costa nesta semana

"As doses que temos disponíveis estão sendo aplicadas com os novos públicos, como no último sábado abrimos todos acima de 18 anos tomar a terceira dose. A partir do momento que começar a ter doses sem serem aplicadas e buracos na vacina eu não descarto ter que adotar, ainda neste ano, medidas para induzir a vacinação", disse Bruno Reis em conversa com a imprensa.

De acordo com a Prefeitura de Salvador, 70 mil pessoas ainda não tomaram 1ª dose; 283 mil pessoas estão com 2ª dose em atraso e 156 mil com direito a dose de reforço também não compareceram.

Bruno Reis também comentou o documento enviado pela Fiocruz à Comissão Especial de Acompanhamento da Retomada dos Eventos da Câmara Municipal de Salvador recomendando que o Carnaval da cidade seja realizado em um cenário em que 90% da população seja vacinada em segunda dose.

"Nós estamos pertos desses percentuais. Se a Fiocruz tem segurança quanto a isso que está dizendo, essa é uma sinalização muito positiva em relação ao Carnaval. Já vacinamos 99% da população alvo acima de 12 anos. Já passamos da casa de 80% de completamente vacinados e temos 15% com dose de reforço", relatou o prefeito.

O grande imbróglio para a realização do Carnaval está em uma queda de braço da prefeitura e da Câmara de Vereadores com o governador Rui Costa (PT), que mantém cautela quanto a realização da festa. O temor acontece devido aos alarmantes níveis de contágio em países europeus com índices de vacinação similares ao da população baiana. Nesta semana, Bruno Reis pediu uma reunião com o gestor estadual para alinhar um posicionamento em prol da festa.

"Eu solicitei esse encontro, estou esperando ele [Rui Costa] marcar. Sempre disse que fatos iriam surgindo, como agora tem a dose de reforço a todos acima de 18 anos e agora essa recomendação da Fiocruz. O meu desejo sempre foi ter um anúncio condicionado a uma série de fatores. Espero esse encontro para avaliar os cenários e ver o melhor momento para tomar essa decisão", declarou.

Publicações relacionadas