adblock ativo

Espaço do Leitor

Publicado segunda-feira, 06 de fevereiro de 2006 às 00:00 h | Atualizado em 06/02/2006, 00:00 | Autor: JORNAL A TARDE
adblock ativo

Paraísos fiscais



Está havendo uma devassa nas contas de Duda Mendonça no exterior, membros da CPI posam de detetives nos Estados Unidos, “gastando o dinheiro do povo”. O governo, o Ministério Público, a Polícia Federal e sei lá quem mais deveriam solicitar de todos os bancos estrangeiros as contas de brasileiros, pessoas físicas e jurídicas. Se tem conta no exterior é porque algo está errado. Lembram de Maluf? O coitadinho está solto, tomando chope e comendo pastel, coisa de gente humilde e simples, de quem ganha o mínimo e não dá a mínima para o eleitor.

Gabriel Araújo Vieira

Salvador - BA



Abuso de algemas



O emprego indiscriminado de algemas afronta a dignidade da pessoa humana, constitui tratamento desumano, degradante, desrespeita a integridade física e moral do cidadão, enfim, insulta impostergáveis preceitos constitucionais de obediência obrigatória. Algema só em caso de comprovada necessidade, isto é, na hipótese de resistência ou tentativa de fuga (art. 285 do CPP). É instrumento de contenção, não de humilhação; busca dominação corporal, não diminuição moral; visa sofrear, não ultrajar. Fora disso, é crime: abuso de autoridade, constrangimento ilegal ou, a depender, tortura. A ação policial só se legitima, pois, se embainhada na observância legal. Felizmente.

Fernando Wellington Marques Teixeira

Promotor de justiça aposentado

Salvador - BA



Escorcha



Quero tornar pública a minha indignação com a escorcha que nós, todos os funcionários público da Bahia, fomos vítimas, com o aval da Assembléia Legislativa, onde os senhores deputados só se prestam para aprovar tudo que é contra os servidores. Estou me referindo ao brutal aumento do desconto por dependentes, que passou de R$ 4 para mais de R$ 25, e olhe que nós não tivemos nenhum tipo de reajuste de salário. Um absurdo contra os indefesos servidores estaduais.

Cazivaldo Teixeira Barboza

Salvador - BA



PMBA em extinção



A PM da Bahia , que tem uma história brilhante de dedicação à ordem pública e à integridade de nossa Pátria, está marchando para a extinção. O Exército, símbolo e exemplo de patriotismo, com a Inspetoria Geral das PMs, orienta suas forlas auxiliares não apenas para ser soldados, mas, sobretudo, manter sua unidade. A IGPM, afastando-se, permitiu que a Saeb, desinformada, fizesse uma lei comprometendo o espírito militar da Polícia da Bahia. Dentre outros enganos, transformou os cargos de carreira em comissionados e malbaratou a escala hierárquica com a supressão de postos e graduações. Para completar o infortúnio, substituiu o Regulamento Disciplinar por uma “cartilha”. Tudo isso é uma pena, porque nossa união com o Exército vem antes da guerra do Paraguai. Ademais, Exército e Polícia simbolizam e encarnam a Pátrina nas cores de sua farda, no seu passado glorioso e nas suas tradições imortais.

Humberto Costa Sturaro

Coronel membro da Associação dos Of-RR da PMBA

Salvador - BA



Musa do Carnaval e governo



Pior do que uma japonesa como musa do Carnaval será um carioca como governador da Bahia. O período momesco terá de três a sete, enquanto o governo será de quatro anos (48 meses, ou 1.460 dias), num “País de Todos - PT”. A baianidade do Carnaval ficará mesmo na reminiscência. O que não devemos é misturar alho com bugalho, esquecendo de que o ano será pródigo dos falsos profetas, pagadores de promessas e de copa do mundo, que nada representará em benefício da coletividade. O folião-eleitor trabalhou um ano inteiro construindo uma fantasia, de ver este Brasil um país de todos, e não para tudo se acabar numa quarta-feira cinzenta ou no mês de outubro. O Carnaval foi elitizado; donos de blocos amealham fortunas, sem querer pagar impostos.

Valter Querino

Salvador - BA



  • Cartas para esta coluna devem ser dirigidas a “Espaço do Leitor” - Redação de A TARDE - Rua Professor Mílton Cayres de Brito nº 204, Caminho das Árvores - Salvador - BA - CEP 41822-900, ou ao e-mail [email protected] Devem conter até 10 linhas em corpo 12, com endereço e telefone. Reconhecer a firma quando se fizerem acusações e denúncias. A publicação das cartas poderá ser integral ou parcial, a critério da editoria.
  • adblock ativo

    Publicações relacionadas