adblock ativo

Exposição conta a história da capoeira

Publicado terça-feira, 08 de janeiro de 2008 às 23:14 h | Atualizado em 08/01/2008, 23:15 | Autor: A TARDE On Line
adblock ativo

Com caráter didático cultural, será será aberta nesta quarta-feira, 9, às 10h, a exposição
"Capoeira: o mundo de cabeça para baixo". O objetivo é contar a história da Capoeira, tema do Carnaval 2008 em Salvador, por meio de painéis, imagens e textos  para turistas e visitantes sobre o surgimento da luta que se funde com a história da resistência dos negros no Brasil. A visitação segue até o dia 29 de fevereiro.

História - A exposição começa no século XVI, época em que o Brasil era colônia de Portugal. Ao chegarem ao Brasil, os africanos perceberam a necessidade de desenvolver formas de proteção contra a violência e repressão dos colonizadores brasileiros. Eram constantemente alvos de práticas violentas e castigos dos senhores de engenho. Quando fugiam das fazendas, eram perseguidos pelos capitães-do-mato, que tinham uma maneira de captura muito violenta.

Os senhores de engenho proibiam os escravos de praticar qualquer tipo de luta. Logo, os escravos utilizaram o ritmo e os movimentos de suas danças africanas, adaptando a um tipo de luta. Surgia assim a capoeira uma arte marcial disfarçada de dança. Foi um instrumento importante da resistência cultural e física dos escravos brasileiros.

A prática da capoeira ocorria em terreiros próximos às senzalas (galpões que serviam de dormitório para os escravos) e tinha como funções principais à manutenção da cultura, o alívio do estresse do trabalho e a manutenção da saúde física .

Portanto, a capoeira é legítima e genuinamente brasileira. Não se pode afirmar com certeza, se teve seu inicio em Salvador, Rio de Janeiro ou Recife. Provavelmente, se fez ao mesmo tempo nestas cidades. Sabe-se que realmente surgiu como "instrumentos de libertação contra um sistema dominante predominante opressor".

Os registros que determinam datas para seu surgimento variam entre 1578/ 1632. Dessa forma, o surgimento da capoeira se mistura com a história da resistência dos negros no Brasil. Eis porque as maiorias dos autores que escrevem sobre a questão associam o aparecimento da capoeira ao surgimento dos primeiros quilombos. Alguns chegam a se referir especificamente ao Quilombo de Palmares (que foi o que reuniu um número maior de pessoas, cerca de 25 a 50 mil, e foi destruído em 1694) como sendo o berço da capoeira.

A capoeira possui três estilos que se diferenciam nos movimentos e no ritmo musical de acompanhamento. O estilo mais antigo, criado na época da escravidão, é a capoeira angola. As principais características deste estilo são: ritmo musical lento, além de golpes jogados mais baixos (próximos ao solo).

O estilo regional caracteriza-se pela mistura da malícia da capoeira angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau. Os golpes são rápidos e secos, sendo que as acrobacias não são utilizadas. Já o terceiro tipo de capoeira é o contemporâneo, que une um pouco dos dois primeiros estilos. Este último estilo é o mais praticado na atualidade .

Serviço:

Exposição: "Capoeira-o mundo de cabeça para baixo"
Local : Diretoria de Museus-DIMUS-
Rua Inácio Accioli, 6 – Pelourinho –(71) 3117.6443
Abertura : 09 de janeiro- 10h
Encerramento : 29. fevereiro
Horário : Segunda a sexta-feira das 9h00 às 18h00
Aberto ao público

adblock ativo

Publicações relacionadas