Família é mantida refém por criminoso em Águas Claras | A TARDE
Atarde > bahia > Salvador

Família é mantida refém por criminoso em Águas Claras

Polícias Civil e Militar estão no local e negociam com sequestrador

Publicado segunda-feira, 15 de maio de 2023 às 07:38 h | Atualizado em 15/05/2023, 10:10 | Autor: Da Redação
Homem é suspeito de ter praticado 10 homicídios, sendo um deles contra a ex-namorada
Homem é suspeito de ter praticado 10 homicídios, sendo um deles contra a ex-namorada -

Uma família é mantida refém na manhã desta segunda-feira, 15, dentro de casa no bairro de Águas Claras, na região de Cajazeiras. Policiais civis e militares estão no local na tentativa de negociar com o sequestrador. O sequestro teria sido iniciado por volta das 6h. 

O homem estaria fugindo de policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que foram ao bairro cumprir um mandado de prisão de feminicídio, e, na fuga, invadiu a casa de uma família com cerca de quatro pessoas, sendo elas duas crianças e dois adultos. Ele é acusado de matar a ex-companheira, em abril de 2021 e ainda seria suspeito de envolvimento em outros homicídios

As polícias Civil e Militar realizam a negociação para a rendição do homem, identificado como Tarcísio, de 28 anos. O pai do sequestrador foi chamado pelas forças de segurança e tenta auxiliar na comunicação. 

Em novo desdobramento do sequestro, após o criminoso demorar a liberar os refpens, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) também foi acionado.

 

 

Feminício

Tarcísio é apontado como o assassino de Mayara Soares dos Santos, morta em abril de 2021, aos 23 anos. Ela foi morta a tiros na Rua Vietnã, também no bairro de Águas Claras. A vítima tinha uma filha de 1 ano e cinco meses. 

O suspeito fugiu logo a após o crime. Segundo familiares da vítima, ela sofria ameaças dele, com quem morava. No dia seguinte, familiares da jovem realizaram um protesto no bairro para pedir justiça.

No dia seguinte, familiares da jovem realizaram um protesto no bairro para pedir justiça. O caso foi investigado pela 2ª Delegacia de Homicídios (2ª DH/Central).

Publicações relacionadas