Gripário no Pau Miúdo tem fluxo intenso no primeiro dia de reabertura

Unidade havia sido desativada em março deste ano e é dedicada ao atendimento de síndromes gripais

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 05:00 h | Atualizado em 12/07/2022, 00:38 | Autor: Priscila Dórea
População tem procurado gripário para ter certeza da causa de sintomas que podem revelar infecção por Covid
População tem procurado gripário para ter certeza da causa de sintomas que podem revelar infecção por Covid -

Com dez leitos de enfermaria, dois de sala vermelha (para internação de pessoas com maior gravidade,) e funcionando 24 horas, a unidade dedicada ao atendimento de síndromes gripais do bairro do Pau Miúdo - na área anexa ao Centro de Saúde Maria Conceição Imbassahy - foi reaberto pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ontem, com intensa procura.

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Salvador está com 2.341 casos ativos de infecção por Sars-Cov-19.

Decisão ocorreu após o aumento da demanda em unidades de saúde de pessoas com sintomas. Entre os pacientes estava a operadora de caixa Sandy Vitória, em seu oitavo mês de gestação, com a garganta doendo, tosse e coriza. 

“Vim aqui atrás do teste rápido, porque os sintomas parecem de gripe, mas nunca se sabe e todo cuidado é pouco. O bom é que, apesar do posto estar um pouco cheio, a triagem e a passagem pelo médico até chegar a parte do teste foi bem rápido”, afirma.

E quem também aprovou a organização do gripário foi a estudante de odontologia Maria Clara Chamusca, que foi ao posto com a mãe após suspeitar que estavam com Covid-19. 

“Achei ótimo eles terem voltado com essa unidade aqui. Tudo está super organizado e o atendimento está bem rápido. Minha mãe testou positivo logo que fez o primeiro teste, o meu deu negativo. Então eles vão me testar outra vez, só para ter certeza”, contou.

O gripário do Pau Miúdo havia sido desativado em março deste ano, por causa da queda do número de casos na capital baiana. 

O coordenador de urgência e emergência da SMS, Ivan Paiva, disse que essa decisão de reabrir a unidade veio a partir da análise do monitoramento feito pelo Centro de Operações Estratégicas da SMS, que observou o aumento de casos positivos. 

“Estamos sempre monitorando esses dados, e o número de testes positivos cresceram muito no último mês. Vimos a demanda por testes se tornar muito maior, assim como o percentual de casos positivos. Com isso, o número de pessoas procurando atendimento cresceu, principalmente na UPA dos Barris. Isso aconteceu logo após os festejos de São João, é um cenário que não existia em maio, por exemplo”, explica Ivan Paiva.

Farmácias

E essas ‘ondas de infecção’ após períodos festivos têm sido percebidas também nas farmácias que realizam testes de covid. 

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) registrou, nos primeiros dias de julho, 35% de resultados positivos no Brasil, o maior percentual de pessoas infectadas no país registrado por eles desde a primeira semana de fevereiro, quando a variante ômicron lotou as unidades de saúde no país. E os números da Bahia não são melhores.

Em janeiro de 2022 (logo após as festas de fim de ano) o número de testes rápidos de farmácia que deram positivo na Bahia chegou a 49,2%, mas seguiu caindo nos meses seguintes, até as festas juninas darem o ar da graça. Em maio, apenas 10,3% dos testes deram positivo, e esse número subiu para 40,4% em junho.

Com esse aumento do número de casos, o questionamento quanto a futura volta do uso obrigatório de máscara - seja em lugar aberto ou fechado -, já tem surgido. 

O coordenador de urgência e emergência da SMS, Ivan Paiva, explica que para que o equipamento volte a ser obrigatório, muitos dados precisam ser levados em consideração, como a gravidade dos sintomas e claro, o crescimento do número de casos, mas isso é algo que apenas a prefeitura e o estado podem decidir.

“Talvez alguma medida de segurança possa voltar a ser adotada, mas a verdade é que, apesar do crescente número de casos positivos, eles não estão gerando um aumento significativo de internamento ou óbitos. A maioria das pessoas que estão testando positivo estão com sintomas leves e o quadro de saúde delas permitem que muitas consigam se cuidar em casa”, explica.

Por meio de nota, a Prefeitura de Salvador informou que as medidas de flexibilização do uso da máscara na capital baiana prosseguem na cidade e que está atenta ao cenário da Covid-19 para adoção de medidas complementares, caso seja necessário. 

Já a Sesab salientou que monitora diversos indicadores em relação à Covid-19 - como número de novos casos, total de casos ativos e taxa de ocupação - e, até este momento, não há indicação de retomada obrigatório do uso de máscaras.

Caso haja mudança no cenário, a Sesab pode retomar a medida, mas o órgão reforçou, por meio de nota, que “os municípios têm autonomia para definir medidas mais restritivas em seu território, mas continuamos incentivando os municípios no sentido de ampliar a vacinação e buscar aqueles que estão em atraso”.

Publicações relacionadas