adblock ativo

Órgãos da prefeitura funcionam com 30% do efetivo

Publicado quinta-feira, 07 de julho de 2011 às 07:42 h | Atualizado em 07/07/2011, 10:53 | Autor: Carine Andrade | Agência A TARDE
adblock ativo

Por conta da greve decretada, por tempo indeterminado, pelos servidores municipais, desde a meia-noite desta quinta-feira (7) os órgãos operacionais da Prefeitura de Salvador passaram a funcionar com 30% do efetivo.

As operações tapa-buracos (Sucop), contra poluição sonora (Sucom) e a segurança nos postos de saúde, a cargo da Guarda Municipal, estão suspensas a partir de hoje.

A decisão foi tomada em assembleia na terça-feira, no Ginásio dos Bancários, e, até que seja resolvido o impasse junto à prefeitura, apenas os serviços essenciais funcionam plenamente na cidade. São eles: Transalvador, Salvamar, Codesal, Secretaria Municipal de Saúde e Laboratório Central.

A categoria reivindica o cumprimento do acordo coletivo de 2009/2010, que prevê o direito de assistência médica aos servidores; 40% de reajuste referente aos últimos três anos (2009/2011) e adoção do plano de cargos e vencimentos (PCV).

“A greve vai causar transtornos na cidade, mas a culpa não é do servidor”, explica o sindicalista Jeiel Soares, reforçando que a categoria entrou em campanha salarial em maio, mas até o momento o pleito não obteve avanço.

A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria de Planejamento, Tecnologia e Gestão (Seplag), informou, em nota, que é de interesse da administração municipal criar um novo plano de cargos e vencimentos para os servidores municipais, desde que o reajuste não ultrapasse R$ 30 milhões anuais para os cofres do município.

Por conta dessa limitação, “o aumento não pode ser superior aos 17,5% oferecidos, que, se fossem aceitos, seriam válidos já a partir de janeiro de 2012”.

adblock ativo

Publicações relacionadas