adblock ativo

Polícia Civil e shoppings lançam campanha ‘Guardiões da Infância’

Publicado às | Atualizado em 25/10/2021, 22:59 | Autor: Priscila Dórea
A ação prevê shows do animador infantil e embaixador da Dercca, Tio Paulinho | Foto: Felipe Iruatã | Ag. A TARDE | 25.10.2021
A ação prevê shows do animador infantil e embaixador da Dercca, Tio Paulinho | Foto: Felipe Iruatã | Ag. A TARDE | 25.10.2021 -
adblock ativo

Em uma parceria entre a Polícia Civil e os shoppings de Salvador, teve início na segunda-feira, 25, a campanha Guardiões da Infância, que tem como objetivo informar a população sobre a atuação, finalidade e atribuições da Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI) e da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca).

“Queremos, acima de tudo, mostrar que a população pode confiar no trabalho da polícia e que somos um local de acolhimento, não um grupo que impõe medo. Queremos nos aproximar da sociedade desconstruindo essa imagem que liga a polícia a violência”, explica a delegada Ana Virgínia Paim, da DAI.

Com rodas de conversa com gestores, representantes, lojistas e funcionários dos shoppings, a ação busca mostrar a melhor forma de agir com os menores em situação vulnerável que circulam pelos centros comerciais, além de trazer a tona pontos relativos ao público infanto-juvenil vítima e em conflito com a Lei, à luz do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“O interesse dos funcionários foi grande, a palestra foi muito prática e nos fez perceber a visão que esses jovens têm ao observarem o nosso próprio comportamento. É uma ação de fundamental importância já que, como membros da sociedade, é essencial sabermos como dar apoio a essas crianças e adolescentes”, conta Júlio Carneiro, gerente de operações do Salvador Shopping, centro de compras que deu início à campanha na segunda.

Apresentações

A ação passará também, ao longo da semana, pelo Shopping da Bahia, Barra, Piedade e Salvador Norte, e as crianças e adultos poderão curtir, ao passarem entre as 16h e 18h nesses shoppings, shows do animador infantil e embaixador da Dercca, Tio Paulinho, e do cantor Nando Borges. As apresentações irão marcar a abordagem lúdica realizada pelas equipes da Dercca e da DAI, que conta com policiais, psicóloga e assistente social, para explicar para o público sobre suas atuações.

O Guardiões da Infância, conta a delegada Simone Moutinho da Dercca, é um desdobramento da Operação Cinderela, que teve início no dia 23 de setembro e visava coibir o trabalho infanto-juvenil, que começou com a observação das sinaleiras de Salvador com crianças fora da escola expostas aos perigo ou em situação de mendicância, sendo usadas para sensibilizar os outros.

“Já foram quase 50 crianças tiradas das ruas e suas famílias estão sendo acompanhadas pelo conselho tutelar. Mas com isso, a gente entendeu que, quando falamos de crianças em estado vulnerável, não basta coibir, é preciso romper com essas estruturas dialogando com a sociedade. Por isso estar em lugares como os shoppings, onde um grande número de pessoas circulam, é um bom começo para conscientizar a população", explica.

A delegada salientou que a população precisa aprender a procurar agir quando ver a criança ou adolescente em situação de risco ou exploração, e não apenas sentir o choque daquela situação e seguir em frente. “Não podemos mais jogar a poeira para debaixo do tapete, é preciso enfrentar essas questões. Claro que tem que haver políticas públicas para ajudar as famílias na situação em que vivem. Porém, não é certo usar crianças para sensibilizar as pessoas em sinaleiras. Eles precisam estar na escola aprendendo, para então ter uma vida diferente e melhor”, diz.

E os resultados dessas ações contínuas já podem ser observadas em números. Um levantamento nacional, realizado pelo Panorama da Violência Letal e Sexual contra Crianças e Adolescentes, aponta que a Bahia é o segundo estado com menor taxa de morte violentas intencionais de jovens de 10 a 19 anos.

A pesquisa, divulgada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), avaliou os boletins de ocorrência das 27 unidades da federação. O levantamento mostra que o estado apresentou 6,88 assassinatos nessa faixa etária por 100 mil habitantes em 2020. O número só não é menor que o de São Paulo, que registrou 4,9.

adblock ativo

Publicações relacionadas