adblock ativo

Polícia investiga se mulher suspeita de submeter babá a cárcere privado fez mais vítimas

Publicado sábado, 28 de agosto de 2021 às 11:09 h | Atualizado em 28/08/2021, 11:19 | Autor: Leo Moreira
MPT prometeu ir a fundo pra apurar se Melina cometeu irregularidades às ex-funcionárias | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE
MPT prometeu ir a fundo pra apurar se Melina cometeu irregularidades às ex-funcionárias | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE -
adblock ativo

Pode chegar a dez o número de vítimas de Melina Esteves França, a patroa investigada por ter mantido a babá Raiane Ribeiro em cárcere privado.  Entre quinta-feira passada e a sexta, 27, mais seis ex-funcionárias teriam prestado depoimento na 9ª Delegacia Territorial (Boca do Rio) para relatar situações semelhantes.

>>MPT abre inquérito sobre caso de babá que alega ter sido mantida em cárcere privado

>>Babá que pulou de prédio em Salvador pediu ajuda a família em áudio após ser agredida

>>Babá pula do 3º andar de prédio no Imbuí e acusa patroa de cárcere privado

Segundo informações policiais, uma delas relatou ter encontrado uma arma de fogo enquanto faxinava. Além delas, outras três mulheres registraram boletim de ocorrência, na sexta, na 9ª DT. A Polícia Civil concedeu coletiva sobre as investigações. O delegado Thiago Rodrigues Pinto confirmou, sem revelar o número exato, o surgimento de novas vítimas.

“Ainda há muitas vítimas aparecendo e que falam uma certa situação. A gente está tentando colocar no papel todas essas informações”, explicou o delegado ao confirmar que Melina admitiu agressões. “Ela manteve a versão que a mulher agrediu as crianças. A acusada admitiu as agressões, mas afirmou que foram mútuas e por conta de um desentendimento”.

adblock ativo

Publicações relacionadas