Prefeitura de Salvador diz que evento-teste não tem relação com Réveillon e Carnaval

Publicado segunda-feira, 21 de junho de 2021 às 18:12 h | Atualizado em 21/06/2021, 18:21 | Autor: Da Redação

Depois da repercussão da fala do prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), que em coletiva na manhã desta segunda-feira, 21, afirmou que a cidade poderia ter uma espécie de "evento-teste" para avaliar a realização do Réveillon e do Carnaval, a Prefeitura emitiu uma nota e negou que o "experimento" tenha relação com as festas populares.

De acordo com a nota, o evento ainda está "sendo estudado pela Prefeitura" e só pode acontecer quando "o cenário da Covid-19" na capital "permitir". Segundo o comunicado, ele serviria como uma "avaliação geral" para a adoção de protocolos de retomada das atividades no futuro.

Por fim, ressalta que o evento-teste possa servir de exemplo para as duas festas com bastante apelo na capital baiana, e que possuem "características e evento de rua", com grande potencial de aglomeração, o que é contraindicado por todas as autoridades sanitárias diante da pandemia de Covid-19.

Leia na íntegra:

A realização do evento-teste em Salvador está sendo estudado pela Prefeitura e só deverá acontecer quando o cenário da Covid-19 na cidade permitir. A iniciativa será realizada em ambiente controlado, com público limitado, selecionado, testado, entre outras condicionantes e diretrizes que ainda estão sendo discutidas e serão divulgadas quando a situação permitir. 

A realização do experimento deve contribuir para a avaliação geral e aprovação de um futuro protocolo para a retomada gradual e responsável do setor de eventos, atividade de extrema importância para a cidade e que está paralisada há mais de um ano. No entanto, reforçamos que o evento-teste só deverá acontecer quando a situação do novo coronavírus permitir essa realização com total segurança para todos.

O evento-teste não tem relação com o Réveillon e o Carnaval, que possuem caraterísticas de evento de rua e que ainda não possuem previsão de protocolo para a realização por serem eventos com grande aglomeração, o que é contra todas as recomendações sanitárias de enfrentamento ao novo coronavírus.

Publicações relacionadas