Profissionais de enfermagem protestam em Salvador por piso salarial | A TARDE
Atarde > Bahia > Salvador

Profissionais de enfermagem protestam em Salvador por piso salarial

Trabalhadores fecharam trecho da Avenida Vasco da Gama

Publicado quinta-feira, 29 de junho de 2023 às 12:37 h | Autor: Da Redação
Profissionais da enfermagem fecharam parte da Avenida Vasco da Gama
Profissionais da enfermagem fecharam parte da Avenida Vasco da Gama -

Profissionais da enfermagem fizeram protestos nesta quinta-feira, 29, em Salvador . O Sindicato dos Enfermeiros do Estado (SEEB) anunciou greve na Bahia para esta quinta-feira, 29, e sexta-feira, 30, que foi detalhada pelo Portal A TARDE. A categoria protesta  pelo pagamento do piso salarial.

Os trabalhadores  se reuniram na frente do Hospital Geral do Estado (HGE) e saíram em caminhada para a Avenida Vasco da Gama. 

 

 

O PL 2564/20, que trata do piso dos profissionais da categoria, foi aprovado nas duas casas legislativas e sancionada pela Presidência, se transformando na Lei 14434/22. No entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, em setembro de 2022, acatou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) impetrada pela Confederação Nacional da Saúde, Hospitais, Estabelecimentos e Serviços (CNSaúde) e suspendeu a Lei Nº 14.434, até que fossem definidas as fontes de financiamento.

Ao Portal A TARDE,  a presidente do SEEB, Alessandra Gadelha, explica que as entidades representativas do campo seguem na busca por articulação política e soluções para o financiamento do Piso Salarial Nacional, em movimento que busca a implantação imediata do mesmo, fixado em R$ 4.750 mensais. Técnicos de enfermagem receberiam R$ 3.325; auxiliares de enfermagem e parteiras, R$ 2.375.

No caso da greve, 100% dos profissionais das emergências, UTI, estarão trabalhando para que não ocorra a desassistência da população. 30% do contingente total no estado irá atuar em unidades de internação, hospital dia, procedimentos eletivos. No caso do administrativo e ambulatório, a adesão será de 100%", explica  Gadelha.

Publicações relacionadas