Projetos em bases comunitárias de segurança inspiram jovens atletas | A TARDE
Atarde > Bahia > Salvador

Projetos em bases comunitárias de segurança inspiram jovens atletas

Programas sociais apostam no esporte para mudar vidas e ser poderosa arma de prevenção à criminalidade

Publicado domingo, 24 de setembro de 2023 às 15:15 h | Atualizado em 24/09/2023, 17:42 | Autor: Silvânia Nascimento, Priscila Dórea e redação
Crianças têm aula de judô com o PM Kleber Curcino
Crianças têm aula de judô com o PM Kleber Curcino -

Foi nas aulas de judô ministradas pelo policial militar Kleber Curcino, na Base Comunitária da PM, no Calabar, que Samuel Barreiros, de 20 anos, encontrou suporte para superar a perda o pai, aos 12 anos, e da mãe, aos 16. “Sempre admirei as artes marciais, desde novo, mas era algo distante da minha realidade, porque o esporte ainda era muito elitizado na época”, lembra. 

“A Base Comunitária da PM foi transformadora para mim. A partir do momento que percebi que poderia ter acesso a algo que era impossível, até então, descobri que por aquela porta eu poderia traçar voos maiores e ressignificar o meu verdadeiro valor como jovem, atleta e morador de bairro periférico.”

Barreiros frequenta as aulas da unidade há nove anos. Ali, recebeu apoio, conquistou amigos e trocou experiências de vida. “Posso afirmar, sem dúvida, que muito do que sou hoje e do que conquistei até aqui é reflexo do coletivo de ideais expostos pelos policiais incluídos neste projeto”, testemunha. “Todos são unidos pela missão de transmitir o conhecimento necessário nos aspectos mais importantes da cidadania e da vida. E o soldado Kleber surge como inspiração na minha vida. Nunca havia visto um profissional tão exemplar e adequado para tal posição. Ele representa liderança, resiliência, respeito e, acima de tudo, empatia.”

Instalações da base comunitária no bairro do Calabar
Instalações da base comunitária no bairro do Calabar |  Foto: Olga Leiria / Ag. A Tarde
 

As muitas lições que o jovem acumulou ao longo dos anos na base comunitária de seu bairro acabaram moldando seu futuro profissional. Barreiros foi aprovado, em julho último, no concurso público da Polícia Militar da Bahia. “Minha vivência no projeto despertou um olhar mais recíproco e franco sobre meu caminho profissional, formando a cada dia minha vontade de entrar na corporação, para poder dar continuidade a essa transformação entre profissional de segurança e o cidadão, juntos em um só”. 

Revolução

“Com grandes referências por perto e com o exemplo do meu irmão, que hoje é policial rodoviário federal, busquei alcançar esse êxito como meta primordial, e de forma vocacional poder suprir o meu desejo de ser agente de segurança pública da Bahia.”

Barreiros faz parte de uma revolução silenciosa na segurança pública – principalmente quando comparada às recentes grandes operações policiais na Bahia –, mas que tem impacto mais duradouro e é menos onerosa aos cofres públicos do Estado: a construção da cidadania e a inclusão socioeconômica como armas de prevenção à criminalidade.

Não faltam estudos que comprovam que a prática esportiva é um dos caminhos que incentivam a população, em especial os jovens, a moldar seu futuro. Por meio de conceitos como, regras, disciplina, colaboração e superação, o esporte auxilia na inserção social e na formação de caráter de seus praticantes. Não à toa, a prática esportiva é um dos principais eixos das bases comunitárias e de diversas ações sociais do Estado.

Criadas há 12 anos, as Bases Comunitárias de Segurança (BCS) têm duas atuações: ser a base do policiamento das comunidades e desenvolver ações socioeducativas para os moradores. Hoje, há 19 equipamentos do gênero, instalados nas maiores cidades no Estado.

FazAtleta

Percebendo a eficiência e os bons resultados alcançados por meio da realização de atividades esportivas, a Polícia Militar, com o objetivo de alcançar e atrair o maior número possível de jovens e crianças, promove cursos de uma série de modalidades nas BCS. Além das aulas de judô, as bases oferecem aulas de jiu-jitsu, caratê, capoeira, boxe, futsal, basquete, aikido, boxe, kung fu, muay thai, kickboxing e ginástica rítmica.

Atualmente, as ações promovidas nas bases contam, também, com o apoio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) que, por meio do programa FazAtleta, fornece materiais como, quimonos, tatames, faixas, uniformes, além de bolas para as modalidades de futsal, handebol, basquete e vôlei. Quando um atleta se destaca, pode até receber passagens e hospedagem para participar de competições internacionais, por exemplo.

“O que temos em termos de retorno de familiares é sempre muito positivo, principalmente pela melhoria desse jovem no ambiente familiar e no rendimento escolar”, afirma o diretor-geral da Sudesb, Vicente Neto. “São mais de R$ 5 milhões de investimento do governo da Bahia somente na política desses projetos sociais executados para atender o público jovem e socialmente vulnerável.”

 Dona do sexto melhor tempo do mundo no Júnior de Natação, Celine Bispo, de 18 anos, é testemunha do sucesso da ação. 

“Desde que entrei no FazAtleta, em 2022, o programa tem sido essencial para o meu desempenho”, afirma a nadadora, moradora do bairro de Plataforma. 

“Equipamentos, trajes de competição, viagens e hospedagens, por exemplo, têm sido possíveis graças ao projeto. A natação hoje é minha vida.” Repleta de medalhas, ela está classificada para os Jogos Pan-Americanos 2023, que serão realizados entre outubro e novembro, no Chile.

Celine Bispo é dona de recorde mundial  na natação
Celine Bispo é dona de recorde mundial na natação |  Foto: Shirley Stolze / Ag A Tarde Data: 18/12/2019
 

Vicente Neto explica que o órgão é responsável pelas políticas de esporte do Estado e tem a obrigação de atender a todas as pessoas, independente da classe social. “Mas é natural que, por se tratar de uma política pública, o segmento mais carente é aquele que recebe atenção prioritária das ações”, destaca. “Um dos critérios de inscrição para o aporte financeiro da Sudesb, por exemplo, é que a aluna ou aluno esteja matriculado, preferencialmente, em escolas públicas.”

Estado investe em apoio e estruturas esportivas

O FazAtleta está longe de ser o único projeto dedicado ao fomento à prática de esportes no Estado. O projeto Areninhas, por exemplo, levou à instalação de 95 quadras esportivas em regiões vulneráveis em todas as regiões baianas, com investimento de R$ 76 milhões, incentivando a prática de esportes e a criação de ações sociais nas comunidades.

Multimedalhista 

Há ainda o Programa Bolsa Esporte. Até o ano passado, a ação concedia bolsas de entre R$ 380 e R$ 2 mil, mas, de acordo com o diretor-geral da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), Vicente Neto, a expectativa é que, no edital de 2023, que logo será lançado, esses valores aumentem. No total, nos últimos nove anos, a Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb) investiu mais de R$ 270 milhões em estruturas esportivas e programas de apoio a atletas, alcançando centenas de jovens por todo o estado.

Imagem ilustrativa da imagem Projetos em bases comunitárias de segurança inspiram jovens atletas
 

Projetos e programas como esses são fundamentais para os jovens atletas, afirma a ginasta multimedalhista de 15 anos, Keila Santos, do bairro Parque São Cristóvão. “Eles nos dão oportunidades, e melhoram nossas condições de treinamento e preparo para competições importantes”, afirma.

Vicente Neto salienta que, apesar de muitos campeões surgirem nos programas estaduais de incentivo à prática de esporte, o objetivo dessas ações não é fazer do esporte uma carreira para os jovens, mas sim fornecer uma atividade socioeducativa que dê um norte para crianças e jovens em situação vulnerável e insegurança.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS