PT, PSB e MSTS se unem em comitê que propõe luta por moradia

Está prevista a criação de comitês de luta por moradia em todos os bairros de Salvador

Publicado segunda-feira, 28 de março de 2022 às 10:22 h | Atualizado em 28/03/2022, 10:26 | Autor: Da Redação
Durante o encontro, ficou definido o calendário de atividades do comitê, que tem como foco para as próximas semanas o fortalecimento da luta dos movimentos sociais e o pedido de destituição de Jair Bolsonaro (PL)
Durante o encontro, ficou definido o calendário de atividades do comitê, que tem como foco para as próximas semanas o fortalecimento da luta dos movimentos sociais e o pedido de destituição de Jair Bolsonaro (PL) -

Os diretórios do PT e do PSB de Salvador e o Movimento Sem Teto de Salvador (MSTS) fundaram, neste domingo (27), no bairro de Mussurunga, o Comitê Popular de Luta por Moradia de Salvador, que atuará em 32 bairros da capital. A ação contou com a participação de 120 lideranças do movimento por moradia da cidade.

O comitê irá preparar ações do movimento para o ano de 2022, visando debater, propor e defender políticas públicas que promovam a garantia do direito à moradia. Está prevista a criação de comitês de luta por moradia em todos os bairros da capital.

A expectativa dos organizadores é que a comissão também irá fortalecer a luta dos movimentos sociais, debatendo e propondo políticas públicas estruturantes. As primeiras pautas que serão debatidas pelo comitê são a regularização fundiária; o retorno do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida; a concessão de lotes urbanizados à população; e a construção da sede do Movimento Sem Teto de Salvador (MSTS), com o intuito de ampliar as ações da organização em toda a cidade.

Para a presidenta do PT de Salvador, Cema Mosil, o comitê vai promover a melhoria da qualidade da vida das pessoas. “Lá, vamos poder ouvir os anseios da população e integrar suas necessidades e reivindicações ao nosso programa de governo. O PT de Salvador estará participando ativamente da implantação e atuação dos comitês, dialogando com nossas bases, pensando em ações que melhorem a vida da nossa população”, afirmou Cema.

Presente na atividade, Ademário Costa, secretário de Combate ao Racismo do PT Bahia, afirma que os comitês populares irão trazer as pautas dos movimentos populares para o centro do debate político. “O governo de Bolsonaro não atende as demandas dos movimentos sociais, seu pacote de maldades tem retirado direitos fundamentais das populações mais carentes e provocou retrocessos. Portanto, os comitês populares têm como principal papel organizar os segmentos para debater propostas que farão parte dos programas de governo do PT”, destacou o dirigente.

Participaram também do ato de implantação a presidente do PSB de Salvador, Cássia Magalhães, e o líder do MSTS, Jones Bastos. O comitê ainda conta com o apoio do deputado federal Jorge Solla (PT) e do deputado estadual Jacó (PT).

Calendário do Comitê

Durante o encontro, ficou definido o calendário de atividades do comitê, que tem como foco para as próximas semanas o fortalecimento da luta dos movimentos sociais e o pedido pela saída de Jair Bolsonaro (PL) do cargo.

Entre as ações, está o ato com Lula na Bahia, nesta quinta-feira, 31, no Wet’n Wild, em Salvador; e a manifestação em defesa da reestatização da Petrobrás e pela redução dos preços dos combustíveis, que será realizada no dia 9 de abril, no Campo Grande, também Salvador.

Publicações relacionadas