Salvador ainda não irá impor restrições a não vacinados, diz prefeito

Publicado sexta-feira, 03 de dezembro de 2021 às 11:48 h | Atualizado em 03/12/2021, 11:51 | Autor: Daniel Genonadio

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), apontou que ainda não planeja impor restrições mais rígidas a pessoas não vacinadas contra a Covid-19, como tem começado a acontecer em outros lugares do mundo. O gestor pontou que restrições não estão descartadas, mas a avaliação é de que ainda existe procura por vacinação na capital baiana e a fiscalização para algumas medidas são dificéis de serem realizadas.

"Enquanto eu tiver vacinas disponíveis, não vou adotar medidas para induzir a vacinação. Estamos indo pela ampliação do diálogo e deixando a vacina mais próxima das pessoas. Caso as doses fiquem paradas podemos adotar isso exigindo cartão de vacinação em áreas públicas e privadas", pontuou disse o prefeito em conversa com a imprensa na manhã desta sexta-feira, 3, no Largo do Bonfim.

Bruno Reis ainda apontou que algumas medidas podem ser pouco produtivas pela dificuldade de fiscalização, como exigir passaporte de vacinação para entrar em ambientes privados. Desde a última quarta-feira, 1º, através de decreto do governo da Bahia, para ter acesso a serviços públicos de maneira presencial, é necessário comprovar a vacinação.

"A pior coisa apara um governante é tomar decisões e não poder fiscalizar o seu cumprimento. Para a gente avançar nessas medidas, um dos critérios é que eles sejam efetivamente cumpridos. Não adianta você exigir de bares, restaurantes, shoppings e afins e na prática não funcionar. Nós não descartamos essas medidas, porém a nossa estratégia ainda é outra. Temos alto índice de vacinação. Poderíamos estar melhor, mas os números que temos são elevados", falou o prefeito.

Publicações relacionadas