Salvador ganha Unidade Móvel de Zoonoses para tratar esporotricose

Até sexta-feira, 22, a unidade ficará estacionada na Prefeitura-Bairro de Itapuã, na Avenida Dorival Caymmi

Publicado segunda-feira, 18 de julho de 2022 às 17:35 h | Atualizado em 18/07/2022, 17:35 | Autor: Da Redação
Unidade móvel terá capacidade de 15 atendimentos diários
Unidade móvel terá capacidade de 15 atendimentos diários -

A capital baiana estreia na quinta-feira, 21, uma Unidade Móvel de Zoonoses (UMZ), com capacidade de 15 atendimentos diários. O projeto é pioneiro no país e vai fazer diferença para o enfrentamento e prevenção da esporotricose – micose causada pelo fungo do gênero ‘Sporothrix spp’. 

Até sexta-feira, 22, a unidade ficará estacionada na Prefeitura-Bairro de Itapuã, na Avenida Dorival Caymmi. Em seguida, serão beneficiados os bairros de Paripe e São Caetano. 

Para ter acesso a um atendimento, é necessário ligar para o Fala Salvador, no número 156. Caso haja suspeita de lesões causadas por esporotricose no animal, uma equipe é deslocada para coletar o material provocado pela lesão.

Em caso de diagnóstico positivo, a equipe UMZ vai agendar por telefone a ida ao equipamento itinerante para realizar o tratamento. O espaço também coleta material de exame das lesões através de citologia. 

Segundo a coordenadora do CCZ, Isolina Miguez, Itapuã foi escolhida para iniciar os atendimentos por causa do alto número de casos na localidade.

“O objetivo é intensificar o acesso ao tratamento dos animais suspeitos de esporotricose de forma objetiva e segura para evitar que o fungo se prolifere e atinja outros bairros”, disse.

Doença

A esporotricose é uma micose conhecida como a “doença do jardineiro”, causada por fungo que pode afetar vários animais, incluindo seres humanos. A transmissão ocorre pelo contato com terra, matéria orgânica e espinhos de plantas contaminadas com o fungo ou através de arranhadura, lambedura ou contato direto com secreção das lesões de animais infectados. 

O animal com suspeita de esporotricose apresenta nódulo ou úlcera na pele ou na mucosa nasal, ou problemas respiratórios (espirros).  O agravo tem cura, principalmente, quando diagnosticado no início. 

Dados

No ano de 2021 foram notificados 1.223 casos suspeitos de esporotricose em Salvador. Desse total, 1.090 animais receberam tratamento, sendo 654 deles pelo CCZ, 137 evoluíram para o óbito e 228 obtiveram cura. 

Já em 2022, até o início do mês de julho, o CCZ recebeu 400 solicitações de animais suspeitos referentes à esporotricose, 678 animais estão em tratamento pelo CCZ, 53 evoluíram para o óbito e 95 animais obtiveram cura. 

O animal com suspeita de esporotricose apresenta nódulo ou úlcera na pele ou na mucosa nasal, ou problemas respiratórios (espirros).  O agravo tem cura, principalmente, quando diagnosticado no início. 

Publicações relacionadas