Codesal simula evacuações no Calabetão e Bosque Real

Atividade simula retirada rápida de moradores de uma área de risco após acionamento da sirene

Publicado sábado, 19 de março de 2022 às 18:02 h | Atualizado em 19/03/2022, 18:37 | Autor: Da Redação
As ações começaram simultaneamente às 9h
As ações começaram simultaneamente às 9h -

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) realizou dois simulados de evacuação na capital baiana, neste sábado, 19. As ações começaram simultaneamente às 9h, uma na comunidade do Bosque Real, em Sete de Abril, e a outra no Calabetão.

A atividade simula a retirada rápida de moradores de uma área de risco após o acionamento da sirene do Sistema de Alerta e Alarme, servindo de treinamento para que os participantes saibam lidar com uma emergência real, como um deslizamento de terra, decorrente de chuvas fortes.

Segundo a Codesal, a programação também inclui uma roda de conversa. A do Bosque Real foi conduzida pela Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ) e teve como tema “Ciclo de Cuidados na Infância”. A ação aconteceu na Escola Novo Marotinho, localizada na Avenida Aliomar Baleiro, no Novo Marotinho, que serve de abrigo provisório para desabrigados pela chuva.

Já a roda de conversa do simulado de evacuação do Calabetão, intitulada de “Os Efeitos das Mudanças Climáticas”, ocorreu na Escola Municipal de Calabetão, situada na Rua Clériston Andrade, S/N.

“É importante a gente reforçar a necessidade de expedientes como o simulado de evacuação serem tratados com muita seriedade. As pessoas não sabem como se comportar na hora do caos e da tragédia. Estamos aqui seguindo a máxima ‘treino duro, jogo fácil’ com os moradores e equipes da Codesal, Sempre, Segov, Guarda Civil Municipal, Prefeituras-Bairro, Transalvador, SPMJ, Secretaria Municipal de Educação, enfim, uma série de atores envolvidos para que, diante de um risco real, todos saibam o que fazer”, disse Sosthenes Macêdo, diretor-geral da Codesal, em nota.

Conforme o diretor, além dos simulados, a Prefeitura tem feito um “trabalho hercúleo” para ampliar a malha de cobertura de Proteção de encostas, com a execução das contenções realizadas pela Seinfra/Sucop e a implantação de geomantas pela Defesa Civil desde 2016. Ele ressaltou que, em 2021, não houve registro de morte por chuvas fortes em Salvador, mesmo com o temporal ocorrido no final do ano.

De acordo com Fabiana Santana, subcoordenadora de ações comunitárias e educativas da Codesal, os simulados de evacuação mobilizam 50 servidores da Prefeitura e contam com o comparecimento médio de 25 cidadãos por edição. Eles são feitos todos os anos em todas as comunidades em que foram instaladas as sirenes de alerta, como as de Vila Picasso e Voluntários da Pátria, no bairro de São Caetano, a de Bom Juá ou as de Moscou I e II, em Castelo Branco, nas quais o simulado já foi realizado em 2022.

“Mobilizamos a comunidade uma semana antes do exercício prático do simulado. Elas são convidadas a sair de casa por técnicos da Codesal e seguem por rotas seguras para conhecer o abrigo provisório, onde os desabrigados pela chuva têm um local seguro para dormir e fazer suas refeições até que um engenheiro possa autorizar seu retorno para casa”, explicou ela.

Já a Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre) coopera com o simulado de evacuação cadastrando as famílias residentes em área de risco e viabilizando uma alternativa habitacional, quando necessário.

A pasta oferece kits dormitório, de higiene e limpeza para os abrigos, e a partir da vistoria da Codesal indicando necessidade de evacuação de uma família, libera o auxílio-aluguel no valor de R$ 300, com duração 3 meses a 1 ano, com possibilidade de prorrogação deste período e inclusão da família que teve seu imóvel comprometido em um programa habitacional.

Publicações relacionadas