Sirenes da Barragem de Pituaçu serão testadas nesta sexta-feira

Publicado sexta-feira, 22 de novembro de 2019 às 00:00 h | Atualizado em 22/11/2019, 06:25 | Autor: Tainá Cristina*

A população que reside no bairro de Bate Facho e arredores, ouvirá, durante esta sexta-feira, 22, sirenes do sistema de alarme de rompimento da Barragem de Pituaçu, na capital baiana. Serão testes no sistema sonoro, e, por isso, os alarmes não representarão sinal de perigo. Os testes com as sirenes iniciaram ontem e seguem até hoje. Segundo a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), a ação preventiva visa garantir a segurança dos moradores.

Dos pontos de sirenes instaladas nos arredores da barragem, algumas apresentaram problemas ontem e deixaram os moradores preocupados em caso emergência. Na tarde de ontem, às 15h42, o alarme de uma das torres de Bate Facho, foi acionada e, na medição, desempenhou apenas 50% do volume que deveria - o que para muitos moradores estava baixo. Após a música de alarme, a mensagem "teste de sistema de alarme" era mencionada e tranquilizava as pessoas que ainda não haviam sido informadas sobre as operações de segurança.

"Hoje [ontem], ouvi a sirene do sistema de alarme tocar, porém muito baixo. A do carro do ovo é mais alta que essa sirene. Quem está dormindo não ouve nada. Tem que ter o sistema de alarme, mas que sirva e não seja só de enfeite. Se for precisar algum dia, que responda às expectativas", disse o morador de Bate Facho, Alexandre Santos, 28 anos.

De acordo com o superintendente de barragens da Embasa, Lúcio Landin, o sistema de alarme emergencial é feito por quatro torres, a exemplo da torre situada no Bate Facho, BRK Ambiental, e as duas outras no Parque Bolandeira. "Identificamos que precisamos fazer alguns ajustes nos sons do alarme, mas em alguns pontos, deu para ouvir bem a mensagem e o som. A Barragem não oferece risco, é monitorada, tem 113 anos de operação e está toda estabilizada", disse Landin.

Evasão

Hoje, das 10h às 12h, duas sirenes instaladas na região da Bolandeira serão acionadas algumas vezes. Já das 14h às 16h, todas as sirenes instaladas nos arredores da Barragem serão acionadas. O plano de emergência da barragem, inclui além do alarme e mensagem de voz, mensagens de texto enviadas para celulares cadastrados e sinais luminosos. Após a fase de testes das sirenes, o próximo passo será uma evasão de rotas de fuga, numa simulação acidente da barragem, envolvendo os moradores residentes no local e os órgãos para este tipo de ocorrência.

"Sabemos que se trata de um equipamento seguro e faz parte desse plano, a instalação e acionamento da sirene. Esperamos que nunca aconteça, mas se acontecer, as pessoas então, já vão saber que se trata de uma situação emergencial e saberão o que fazer", disse o coordenador técnico de Defesa Civil do Estado da Bahia, Francismo Soares.

* Sob a supervisão da jornalista Regina Bochicchio

Publicações relacionadas