Delegado e policiais militares são alvos de operação da SSP e MP | A TARDE
Atarde > Bahia

Delegado e policiais militares são alvos de operação da SSP e MP

Ação faz parte da 2ª fase da Operação Urtiga

Publicado quinta-feira, 19 de outubro de 2023 às 06:58 h | Atualizado em 19/10/2023, 08:07 | Autor: Da Redação
Ação faz parte da 2ª fase da Operação Urtiga
Ação faz parte da 2ª fase da Operação Urtiga -

A Secretária de Segurança Pública (SSP) e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) deflagraram  a segunda fase da Operação Urtiga, na manhã desta quinta-feira, 19. Os alvos da operação são um delegado, um investigador e quatro policiais militares nas cidades de Santaluz, Valente e Conceição do Coité. As ordens judiciais foram expedidas pela Vara Criminal da Comarca de Santaluz. De acordo com a SSP, o investigador da Polícia Civil foi capturado durante cumprimento de mandado de prisão

Um investigador da Polícia Civil foi capturado durante cumprimento de mandado de prisão na segunda fase da Operação Urtiga, deflagrada pela Secretaria da Segurança Pública e Ministério Público, que investigam um grupo de extermínio, envolvido com extorsão mediante sequestro. A ordem judicial foi cumprida na cidade de Valente, nesta quinta-feira (19).

Um investigador da Polícia Civil foi capturado durante cumprimento de mandado de prisão na segunda fase da Operação Urtiga, deflagrada pela Secretaria da Segurança Pública e Ministério Público, que investigam um grupo de extermínio, envolvido com extorsão mediante sequestro. A ordem judicial foi cumprida na cidade de Valente, nesta quinta-feira (19).

Os agentes de segurança pública são apontados como integrantes de um grupo de extermínio envolvido com extorsão mediante sequestro. 


Na primeira fase realizada no dia 6 junho, juntamente com a Operação Garça Dourada, deflagrada pela Polícia Federal, foram presos quatro policiais militares e um investigador, além de um traficante.

As ações articuladas foram desencadeadas nas cidades de Jacobina, Santa Luz, Valente, Santa Bárbara, Cansanção e Nordestina.

O trabalho é desenvolvido pela Força Correcional Especial Integrada (Force) da Corregedoria Geral da SSP, com apoio dos Grupos de Atuação Especial Operacional de Segurança Pública (Geosp) e de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ambos do MP, além das Corregedorias da Polícia Civil (Correpol) e da Polícia Militar (Correg).

Atualiazada 08h07

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS