Grupo de assaltantes de banco tinha suspeitos de SP, RN e CE, diz SSP | A TARDE
Atarde > Bahia

Grupo de assaltantes de banco tinha suspeitos de SP, RN e CE, diz SSP

Quatro identificados possuíam extensa ficha criminal

Publicado quinta-feira, 14 de dezembro de 2023 às 18:14 h | Autor: Da Redação
O grupo foi flagrado pela Cipe Central com espingardas, revólveres e pistolas na quarta-feira, 13
O grupo foi flagrado pela Cipe Central com espingardas, revólveres e pistolas na quarta-feira, 13 -

Um grupo de assaltantes de banco interceptado pela Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Central, na cidade de Jequié, na Bahia, era composto por suspeitos aturais dos estados de São Paulo, Rio Grande do Norte e Ceará. A informação foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP).

O grupo foi flagrado com espingardas, revólveres e pistolas na quarta-feira, 13. Segundo a SSP, quatro identificados possuíam extensa ficha criminal com passagens por roubo, estelionato, associação criminosa, furto, tráfico de drogas, falsidade ideológica, entre outros crimes e residiam na capital paulista. Informações preliminares apontam que os resistentes integravam uma facção de SP.

Entre os criminosos estavam Ernilton Evangelista de Araújo, natural da cidade cearense de Limoeiro. Ele respondia a inquéritos por roubo, furto qualificado, corrupção ativa e privação de liberdade.

Francisco Carlos Bernado da Silva, nascido na cidade de Nova Cruz, no Rio Grande do Norte, tinha passagens por estelionato, porte ilegal de arma de fogo e uso de documento falso.

Natural da capital paulista, Carlos Alberto Xavier de Andrade acumulava processos por roubo, furto qualificado, tráfico de drogas, associação criminosa e resistência à prisão (confronto com a polícia).

Completa a lista de identificados André Fernandes de Oliveira. Natural de Carapicuíba (SP), ele contabilizava prisões por associação criminosa, falsidade ideológica, estelionato, receptação e uso de documento falso.

Ainda de acordo com a SSP, o quinto integrante da quadrilha usava um documemto falso com o nome de Everton e está em processo de identificação humana.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS