adblock ativo

Passageiros protestam contra extravio de bagagem no vôo 6257 da Ocean Air

Publicado quarta-feira, 21 de novembro de 2007 às 18:18 h | Atualizado em 21/11/2007, 18:18 | Autor: Juscelino Souza, da sucursal Vitória da Conquista
adblock ativo

Quatro dos 11 passageiros que embarcaram no vôo 6257 da Ocean Air, rota Salvador- Vitória da Conquista, tiveram a bagagem desviada e abriram processo de extravio no guichê da empresa que funciona no aeroporto Pedro Otacílio de Figueiredo.

O problema, que ocorreu nessa quarta-feira, 21, foi o terceiro transtorno consecutivo enfrentado pelos usuários da empresa nos últimos três dias e, coincidentemente, protagonizados pelo mesmo vôo.

Na segunda-feira a aeronave não pôde decolar de Vitória da Conquista para Belo Horizonte por causa de alegada falha mecânica. Para que os usuários pudessem seguir viagem a Ocean Air alugou uma Van e ofereceu como opção a remarcação das passagens.

Quem não quis enfrentar 12 horas na estrada pernoitou na cidade e, na terça-feira, além do atraso de quase três horas, ainda testemunhou o piloto arremeter na primeira tentativa de pouso. Até o momento a empresa não explicou os motivos que levaram o piloto a adotar tal procedimento.

De acordo com o dentista Wander Rocha, um dos onze passageiros do vôo das 15h10min, não houve problemas no embarque de Salvador para Conquista. "Foi normal, saiu no horário, tudo tranqüilo, sem problema algum".

Não foi bem o que ocorreu com as empresárias Jaqueline Porto, Valeska Oliveira e Ana Paula Souza, cujas bagagens com roupas e documentos foram extraviadas. Quando tudo parecia superado, apesar do susto no dia anterior, mais uma dor-de-cabeça para as passageiras.

Insatisfação plena, segundo elas. "Estamos aguardando uma posição da empresa para saber onde nosso material foi parar", disse Jaqueline, enquanto as amigas forneciam dados sobre as bagagens a uma das funcionárias no guichê. "Pelo visto só vamos receber o material quinta-feira", concluiu.

Depois de receber a garantia, por meio de uma atendente, que as bagagens seriam restituídas no dia seguinte, as passageiras deixaram o aeroporto apressadas, sem esconder a irritação com o transtorno em mais um dia de caos na aviação.

O mesmo aconteceu com a bagagem do pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa/Goiás), Belmiro Pereira das Neves. Ele deveria ministrar palestra em Guanambi, município do sudoeste da Bahia, mas foi forçado a cancelar o compromisso.

Todo material da palestra, que aconteceria nessa quarta-feira para produtores da região, está na bagagem. "Eu deveria falar sobre o Nim Indiano, uma planta que introduzi no País em 1993 e, para minha surpresa, é a primeira vez, incluindo viagens internacionais, que me ocorre desvio de bagagem".

INCÓGNITA - Uma fonte ligada a Infraero confirmou que até o momento a Ocean Air não reportou sobre os motivos que levaram o piloto a arremeter na tarde de terça-feira, às 17h25min quando chegava de Salvador com 30 passageiros. Esta mesma fonte, um profissional de aviação procurou tranqüilizar, dizendo que o processo é normal.

"Uma arremetida pode ser usada, por exemplo, para gerenciar o tráfego. Você tem uma aeronave que pousou mas não livrou a pista a tempo e existe outra aeronave para pousar, então o piloto arremete para que dê tempo da anterior sair. Então não quer dizer que está se colocando em risco", observou.

No caso específico do fato em Conquista, a fonte acredita que possivelmente pode ter havido uma aproximação alta ou baixa. "O piloto ainda não reportou o motivo mas possivelmente ele poderia estar numa aproximação alta e queria ajustar melhor ao tráfego", finalizou.

adblock ativo

Publicações relacionadas