adblock ativo

Alagoas decreta estado de emergência na saúde pública

Publicado sábado, 18 de agosto de 2007 às 14:55 h | Atualizado em 18/08/2007, 14:55 | Autor: Agência Estado
adblock ativo

O governo de Alagoas decretou estado de emergência na saúde pública, que enfrenta uma greve dos médicos há quase três meses. Com o decreto, publicado em edição extraordinária ontem, o governo está autorizado a contratar médicos sem concurso público para substituir cerca de 250 profissionais da saúde que pediram demissão coletiva.

A medida foi aconselhada pela Procuradoria-Geral do Estado como forma de amenizar a crise na saúde pública onde vários ambulatórios e unidades de saúde estão sem funcionar por falta de profissionais. Uma criança de um ano em meio morreu por falta de atendimento e a Unidade de Emergência Armando Lages, principal pronto-socorro do Estado, já começa a apresentar casos de mortes por infecção hospitalar provocados pela superlotação.

Para evitar que a população seja penalizada ainda mais, o secretário de Saúde de Alagoas, André Valente, tinha elabora um "plano B" para ser aplicado no Estado, caso não fosse feito um acordo. "A saída é a contratação de médicos terceirizados, até que o governo seja autorizado a realizar um novo concurso", acrescentou. Ao todo, 245 médicos da rede estadual de saúde pública já pediram demissão coletiva e outros profissionais estariam também aderindo ao protesto contra os baixos salários. Apesar do apelo feito pelo governador Teotônio Vilela Filho (PSDB), para que os médicos voltassem ao trabalho e desistissem da demissão coletiva, a categoria continuava em greve.

adblock ativo

Publicações relacionadas