Após matar juíza, ex-marido "balançou o ombro como quem diz tanto faz", diz guarda

Publicado sexta-feira, 25 de dezembro de 2020 às 12:00 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Da Redação

Quando o engenheiro Paulo José Arronenzi , preso em flagrante por esfaquear e matar a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, sua ex-esposa, estava no caminho da Delegacia de Homicídios, os guardas-municipais que o prederam questionaram se ele estava arrependido de seu ato.

Em entrevista para o jornal O Globo, um dos prepostos alegou que ele apenas chacoalhou os ombros, disse não se importar e que preferia morrer.

"Ele ficou o todo tempo calado, mas perguntamos se estava arrependido de alguma coisa. Ele balançou o ombro como queria dizer "tanto faz, tanto fez", só dizendo que era melhor morrer", disse o guarda municipal Adailton Moraes para O Globo.

Publicações relacionadas