Após ser criticado, Mandetta diz que Paulo Guedes é "desonesto e mentiroso"

Publicado quarta-feira, 17 de março de 2021 às 15:30 h | Atualizado em 17/03/2021, 15:36 | Autor: Da Redação

A briga pública entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ex-colega de Esplanada Luiz Henrique Mandetta, que comandou a pasta da Saúde até abril do ano passado, pegou fogo. Guedes disse, em entrevista à CNN, que a compra de vacinas contra a Covid-19 pelo Brasil está atrasada desde a época de Mandetta, primeiro ministro da Saúde da era Bolsonaro.

O agora crítico do governo respondeu duramente, primeiro em fala à Folha de S. Paulo e depois nas redes sociais.

“É inacreditável que o homem responsável pela economia do país esteja criando uma narrativa mentirosa para disfarçar a própria incompetência, dele e do governo do qual faz parte”, afirmou Mandetta, que chamou Guedes de “desonesto e mentiroso”.

O ministro da Economia disse mais cedo que a negociação de vacinas contra a Covid-19 está atrasada desde a gestão do ex-ministro da Saúde. “A entrega da vacina não está atrasada só agora, não”, disse Guedes nesta quarta, 17.

“No primeiro dia, Mandetta saiu com R$ 5 bilhões no bolso. É desde aquela época que deveríamos estar comprando vacina, não é mesmo? O dinheiro estava lá”, criticou o economista.

Mandetta disse que os R$ 5 bilhões serviram à habilitação de 15 mil leitos de UTI, além de máscaras e testes, “que o governo não usou e deixou vencer”.

“Mais postos de saúde, menos postos Ipiranga”, provocou Mandetta nas redes. “Em agosto, quatro meses depois da minha saída, surgiram as primeiras propostas de laboratórios que estavam desenvolvendo vacinas e que queriam vendê-las ao Brasil”, disse ainda o ex-ministro, para desmentir Guedes.

 
 

Publicações relacionadas