Brasil se abstém em resolução contra Rússia na Unesco

Governo Bolsonaro mudou sua votação na ONU em relação a invasão russa na Ucrânia

Publicado quinta-feira, 17 de março de 2022 às 11:35 h | Atualizado em 17/03/2022, 11:34 | Autor: Da Redação
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores Carlos França
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores Carlos França -

O Brasil se juntou aos demais países que compõem o Brics e mudou a sua posição nas votações do sistema da ONU (Organização das Nações Unidas) em relação a Rússia. As informações são da coluna de Jamil Chade, no UOL.

 A decisão do governo Bolsonaro foi a de se abster em uma resolução contra a Rússia analisada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) na quarta-feira, 16. 

A resolução, que foi proposta pelos países ocidentais e aprovada, denuncia que "vários edifícios educacionais já foram destruídos ou danificados [na Ucrânia], como o edifício da Universidade Nacional Karazin em Kharkiv".

Diferente de outras resoluções na ONU, essa contou com um alto indíce de abstenções. A resolução foi aprovada com 33 apoios, 24 abstenções e um voto contrário, o da Rússia. 

Essa é a primeira vez que o Itamaraty não vota em apoio a um texto na ONU que condene Moscou, desde o início da guerra. Nenhum país membro dos Brics votou pelo projeto. O também ficou de fora de uma aliança contra a Rússia nesta semana na OMC (Organização Mundial do Comércio).

Publicações relacionadas