Cantora é expulsa de palco por não mandar 'alô' ao prefeito em PE

No palco, ela disse que nem o nome do gestor do município lhe foi informado

Publicado segunda-feira, 04 de julho de 2022 às 16:55 h | Atualizado em 04/07/2022, 16:55 | Autor: Da Redação
"Ou eu canto, ou eu mando alô, meu amor", disse a artista
"Ou eu canto, ou eu mando alô, meu amor", disse a artista -

Durante show em Trezenário de Tracunhaém, em Pernambuco, a cantora Tayara Andreza foi obrigada a deixar o palco e terminar o show antes do previsto por não ter mandado 'alô' ao prefeito da cidade. O caso aconteceu neste sábado, 2.

Antes de deixar o local, ela fez um desabado e disse que nem o nome do gestor do município lhe foi informado.

"Fiquei sabendo agora que o pessoal aqui da prefeitura está pedindo para a gente encerrar o show. Que eu saiba, eu fui contratada para cantar, não para ficar mandando alô. Aí o prefeito, sei lá quem, porque eu não estava mandando alô, pediu para eu encerrar o show", disse Tayara.

Antes de sair, ela frisou que o horário contratual ainda não havia terminado, mas a gestão municipal estava pedindo a interrupção do show.

"Infelizmente eu estou saindo agora, porque ele está pedindo pra eu sair do palco. Eu não tive nada a ver, o meu horário não acabou ainda. E outra coisa: ou eu canto, ou eu mando alô, meu amor. Nem o papel colocaram aqui com o nome para eu ficar mandando alô".

No Instagram, ela contou que sua equipe ainda foi agredida pela produção do evento após a saída do palco e a polícia precisou intervir na situação.

"Foram para cima dos meus músicos, para bater nos meus músicos. Toraram a credencial dos meninos, foram para cima, a polícia teve que vir. Botaram spray de pimenta. A polícia não, o pessoal lá colocou spray de pimenta. Um inferno, xingando".

Em vídeo publicado nas redes sociais, o prefeito de Tracunhaém, Aluízio Xavier, afirmou que estava em casa quando o show acontecia e não teve nada a ver com a exigência feita a artista.

Ele pontuou que, após o ocorrido, o secretário de Cultura foi afastado do cargo.

"A cantora não tem culpa porque ela foi tirada do palco e eu também não tenho. [...] Tomamos a decisão, escutando ambas as partes, de afastar o secretário de Cultura do cargo. Quero pedir desculpas a Tayara e dizer que, assim como ela foi vítima, eu também fui", disse o prefeito.

Ele relatou que encontrou a artista, que entendeu que o prefeito não teve ligação com a exigência feita.

"Ao me ver, ela reconheceu que não fui eu que estive no lugar. [...] Ela se justificou e me disse que pensou que era eu porque usaram o meu nome. Por ser gestor do município, também me responsabilizei por aquela ação, pedi desculpas a ela naquele momento".

Publicações relacionadas