Casos de violência política disparam no país, aponta levantamento

Número de casos já é maior na primeira metade deste ano do que no mesmo período de 2020

Publicado terça-feira, 12 de julho de 2022 às 09:29 h | Atualizado em 12/07/2022, 09:48 | Autor: Da Redação
Dados foram coletados pelo Observatório da Violência Política e Eleitoral da Unirio
Dados foram coletados pelo Observatório da Violência Política e Eleitoral da Unirio -

O número de casos de violência contra lideranças políticas, como o assassinato do tesoureiro do PT, Marcelo Arruda, já é maior na primeira metade deste ano do que no mesmo período de 2020, último ano eleitoral.

De acordo com o Observatório da Violência Política e Eleitoral, formado por pesquisadores do Grupo de Investigação Eleitoral (Giel) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), considerando os primeiros seis meses do ano, em 2020 foram registrados 174 casos e em 2022, 214, um aumento de 23%.

A alta da violência política já havia sido observado no primeiro trimestre deste ano, quando foram registrados a 113 casos, 28% a mais do que no mesmo período de 2020. No segundo trimestre, foram 101 episódios, 17% a mais do que há dois anos.

De abril a junho deste ano, o tipo de violência mais frequente foi ameaça, com 37 casos (36,6%), agressão, com 27 casos (26,7%), e homicídios, com 19 casos (18,8%). Houve ainda 9 atentados (8,9%), 5 homicídios de familiares (5%), 2 sequestros (2%) e 2 sequestros de familiares (2%).

Publicações relacionadas