Desembargador que humilhou guarda recorre ao STF para voltar ao cargo

Publicado segunda-feira, 05 de outubro de 2020 às 21:00 h | Atualizado em 05/10/2020, 21:03 | Autor: Da Redação

O desembargador Eduardo Siqueira, que humilhou um guarda municipal em Santos, no interior de São Paulo, quer voltar ao cargo depois de ter sido afastado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Para isso, ele recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Siqueira quer reassumir a posição enquanto seu caso não é julgado em definitivo. O relator deste caso é o ministro Gilmar Mendes, conforme informações do portal Yahoo.

Relembre

Em julho, Eduardo Siqueira foi abordado por um guarda municipal por andar sem na praia sem máscara, item obrigatório contra a Covid-19, porém ele se apresentou como desembargador, recusou usar o equipamento de proteção e humilhou o agente público.

O vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra o agente pedindo “por favor” para o pedestre colocar a máscara, porém ele responde que o decreto, assinado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) com multa de R$ 100 a quem descumprir a regra, “não é lei”.

O desembargador chegou a insinuar que jogaria a atuação ‘na cara’ do guarda municipal. “Você quer que eu jogue na sua cara? Faz ai a multa”, disse o desembargador.

Publicações relacionadas