Diretor da Anvisa afirma que suspensão de lotes de vacina é 'cautelar' e não deve 'preocupar população'

Publicado domingo, 05 de setembro de 2021 às 13:30 h | Atualizado em 05/09/2021, 13:31 | Autor: Redação

Após a suspensão por 90 dias do uso e distribuição de lotes da vacina CoronaVac que foram envasados em fábrica não aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o que acarretou na suspensão de três lotes na Bahia, O diretor-presidente do órgão, Antonio Barra Torres, afirmou que a população não precisa se preocupar com o assunto.

Em entrevista ao jornal O Globo, Barra Torres disse que o ato foi tomado apenas por "cautela" e que não deve ser utilizado para por a vacinação em descrédito no país.

"Não há que se colocar nenhuma dúvida, descrédito, nada disso. A população não deve entender esse ato como nada além de cautela. Não há outra coisa a fazer a não ser de maneira cautelar promover a interdição desses produtos que já estejam em território nacional até que essa certificação do fabricante seja devidamente apresentada e analisada", pontuou.

Ainda de acordo com ele, todas as doses que saíram da unidade foram atestadas pelo "rigoroso controle de qualidade do Butantan".

Para quem foi imunizado com dose do lote, a recomendação é aguardar orientação do Ministério da Saúde. Em documento encaminhado à Anvisa, o Instituto Butantan assegura que os lotes apontam segurança e qualidade das vacinas produzidas na fábrica que ainda não foi inspecionada.

A Secretaria de Saúde da Bahia ressalta que apenas os lotes especificados não devem ser utilizados. Os demais têm segurança, qualidade e eficácia comprovada.

Publicações relacionadas