Instrutor de academia preso 'jogava esperma' nas vítimas, diz delegado | A TARDE
Atarde > Brasil

Instrutor de academia preso 'jogava esperma' nas vítimas, diz delegado

Leonardo da Costa confessou o crime e disse que ainda fazia isso com menor de idade

Publicado sexta-feira, 20 de outubro de 2023 às 10:18 h | Autor: Da Redação
Instrutor deve responder também pelo artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente
Instrutor deve responder também pelo artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente -

Um instrutor de academia foi preso no Rio de Janeiro por suspeita de filmar as alunas e divulgar o material em grupos de conteúdo erótico na internet e em aplicativos de mensagem. Responsável pelo caso, o delegado Luís Maurício Armond relatou que o indivíduo chegava a jogar esperma nas mulheres sem elas perceberem. 

“Várias vítimas foram procurar a delegacia falando que tinham sido alertadas através de um perfil no Instagram que as imagens dela estavam sendo utilizadas. Elas eram filmadas por esse professor em situações de práticas esportivas que na realidade ele erotizava, jogava ainda esperma nelas sem que percebessem e as filmava nesse contexto, colocando esse material em redes sociais e algumas vezes ganhando com isso, outras vezes não”, explicou.

O suspeito foi identificado como Leonardo Azevedo da Costa, de 34 anos. Ele foi preso no início da semana e, segundo informações da Polícia Civil, teria confessado o ato criminoso. 

“Ele confessa que fazia isso com uma menor, o que é pornografia infantil”, disse o delegado. Na casa do professor foram encontrados registros de pornografia infantil. Foram apreendidos documentos, eletrônicos, computadores e telefones celulares do suspeito.

De acordo com a Polícia Civil, Leonardo deve responder também pelo artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente: adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. A pena pode ir de um a quatro anos. 

Por meio de nota, a academia Total Box, onde Leonardo trabalhava e praticava os crimes, informou que não compactua com nenhuma forma de assédio e que o professor já não fazia mais parte do quadro de funcionários desde o último dia 10.

Vídeo:

 

 

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS