Ministro compartilha artigo que chama eleição de Lula de "desastre"

Paiva afirma que retorno de Lula à cena política poderia provocar a “ruína” das instituições

Publicado domingo, 10 de julho de 2022 às 16:29 h | Atualizado em 10/07/2022, 16:46 | Autor: Da Redação
Ministro disse que as instituições não funcionam e, por isso, o Brasil é uma pseudodemocracia”
Ministro disse que as instituições não funcionam e, por isso, o Brasil é uma pseudodemocracia” -

Um artigo assinado pelo general da reserva Luiz Eduardo Rocha Paiva, que diz que a eventual vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de outubro “será o desastre e a ruína moral da nação e de suas instituições”, foi compartilhado pelo ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, na noite deste sábado, 9, via WhatsApp.

O ex-comandante da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e diretor de geopolítica e conflitos do Instituto Sagres, entidade composta por militares da reserva, divulgou ainda o texto, intitulado de “Lula presidente – Ruína moral da nação e das instituições”, na página no Facebook.

Trechos do artigo, divulgados pelo Jornal O Globo, destacam que Lula “representa o que são antivalores” para as Forças Armadas.

“E, após condenado por unanimidade em três instâncias da justiça e descondenado com base em questões formais de discutível legitimidade, criou-se uma situação de extremo embaraço para as FA (Forças Armadas). Como promover o culto a valores morais, cívicos e éticos, ao mesmo tempo em que se submeteriam e prestariam honras militares a um comandante supremo com o histórico de Lula? Quais os reflexos na coesão, disciplina, autorrespeito e autoestima nas FA?”, questiona Paiva.

Paiva afirma ainda que o retorno de Lula à cena política poderia provocar a “ruína” das instituições, ao falar sobre as decisões do STF que restabeleceram a elegibilidade do ex-presidente. Isso porque no ano passado o Supremo anulou as condenações impostas ao a Lula na Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na Justiça Federal de Curitiba, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ) no caso do triplex do Guarujá.

O general considera “injustificável a adesão ou a leniência de segmentos da sociedade, inclusive de grande parte da mídia e de empresários, aos desígnios de um político inconfiável como Lula” e ainda diz que, “na realidade, as instituições não funcionam e, por isso, o Brasil é uma pseudodemocracia.”

O texto mostra ainda, em um trecho, um certo receio em relação às Forças Armadas. “Em sua autocrítica, após a queda de Dilma, o PT e militantes comuno-socialistas declararam que o erro cometido foi não ter assumido o controle das Forças Armadas (FA), em particular de seus sistemas de ensino, promoções e designação de cargos. Assim, para implantar seu projeto de poder, as Instituições mais atacadas serão as FA.”

O ministro da Defesa afirmou que “o texto é muito bom” e que o autor “é uma das maiores inteligências da história do Exército”.

Publicações relacionadas