Mourão pede investimento privado direto na Amazônia para não pressionar teto de gastos

Publicado segunda-feira, 05 de outubro de 2020 às 16:08 h | Atualizado em 05/10/2020, 16:10 | Autor: Da Redação

O vice-presidente do país, Hamilton Mourão, que é também presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, pediu nesta segunda-feira, 4, que investidores privados façam investimentos privados direto em ações de preservação da Amazônia para não pressionar o teto de gastos.

“Nós temos que trabalhar junto ao setor privado, para que o setor privado invista diretamente, sem intermediação, quando muito utilizando projetos dos estados da Amazônia Legal, porque esses não são impactados pelo teto de gastos”, disse.

De acordo com informações de O Globo, Mourão acrescentou que quando entra financiamento externo para dentro do Governo Federal ele impacta no teto de gastos. “Não adianta eu jogar R$ 1 bilhão dentro do nosso orçamento federal vindo de doações, porque ele impacta o teto — eu tenho que tirar para o outro lado esse mesmo R$ 1 bilhão que entrou. Essa é a situação que nós vivemos hoje”.

Ele ainda comentou sobre a cifra mencionada pelo candidato do Partido Democrata, Joe Biden, à Presidência dos Estados Unidos, que prometeu U$ 20 bilhões para ações de preservação do Brasil.

“U$ 20 bilhões, com o real de hoje, são mais de R$ 100 bilhões. É um número excelente, mas, se for entrar diretamente no nosso orçamento, enquanto tiver o teto de gastos, ele não adianta nada”, concluiu.

Publicações relacionadas