Pimenta diz que tempo para bloquear conta de Jana não foi razoável | A TARDE
Atarde > Brasil

Pimenta diz que tempo para bloquear conta de Jana não foi razoável

Ministro diz que situação deve levar a um debate sobre a necessidade de criação de mecanismos de proteção

Publicado quarta-feira, 13 de dezembro de 2023 às 13:04 h | Autor: Da Redação
Para Pimenta, a sociedade não pode ficar subordinada ao modelo de negócio adotado pelas plataformas de mídias sociais
Para Pimenta, a sociedade não pode ficar subordinada ao modelo de negócio adotado pelas plataformas de mídias sociais -

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, declarou nesta quarta-feira, 13, que “não é razoável” que o “X”, antigo Twitter, tenha levado cerca de 1h30 para bloquear a conta da primeira-dama a Janja, após seu perfil ter sido invadido por hacker.

“Não é razoável que tenha levado quase 1h30 para que a conta dela tenha sido congelada. Se você tentar fazer uma transação bancária estranha, o banco acusa e te avisa. Se alguém entrar na tua conta do Facebook de um IP que normalmente não é utilizado, na hora ele avisa e bloqueia. Essas plataformas têm todas essas ferramentas hoje”, disse durante o programa “Bom Dia, Ministro”, do governo federal.

Para Pimenta, a sociedade não pode ficar subordinada ao modelo de negócio adotado pelas plataformas de mídias sociais e o episódio deve levar a um debate sobre a necessidade de criação de mecanismos de proteção

“Tem muita gente que mesmo com perfis verificados se aproveitando de situações como essa para compartilhar mentiras, preconceitos, desinformação, porque tudo aquilo que é uma atitude criminosa fora das redes é uma atitude criminosa nas redes”, acrescentou.

“Encontrar o ponto de equilíbrio entre liberdade de expressão e proteção de direitos fundamentais das pessoas é um desafio que está colocado para a nossa geração e episódio como esse só reforçam e dão visibilidade para a importância de a gente tomar uma medida que ofereça uma resposta concreta para que esse tipo de situação não se repita”, concluiu.

Publicações relacionadas