Prisão de secretário e ex-secretários do governador do Pará é prorrogada

Publicado sábado, 03 de outubro de 2020 às 15:48 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Da Redação

A pedidos da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF), o Superior Tribunal de Justiça (STJ), prorrogou as prisões cinco pessoas suspeitas de fazerem parte de um esquema e desvio de verbas públicas da Saúde no governo do Pará. Entre elas estão um secretário de estado, dois ex-secretários, um assessor do governador Hélder Barbalho (MDB).

Conforme informações do jornal O Globo, entre os nomes também está uma pessoa que seria operadora financeira do esquema. A PF aponta que o atual governador do Pará, Hélder Barbalho, seria um dos integrantes do grupo criminoso, ele definiria as organizações sociais que ganhariam os contratos para construção dos hospitais de campanha antes mesmo do processo formal de escolha das empresas.

Tiveram as suas prisões temporárias prorrogadas: o ex-secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia Parsifal Jesus Pontes, o secretário estadual de Transportes, Antônio de Pádua de Deus Andrade, o assessor Leonardo Maia Nascimento, o ex-secretário-adjunto de Gestão Administrativa Peter Cassol Silveira e do suspeito de ser operador do esquema Nicolas André Tsontakis Morais.

Na terça-feira, 29, o grupo foi preso durante a deflagração de uma operação da PF que apura se existe uma organização criminosa que desviava recursos da área da Saúde.

Publicações relacionadas