Queiroga minimiza nova variante: “Sistema de saúde é capaz de dar respostas”

Publicado segunda-feira, 29 de novembro de 2021 às 13:39 h | Atualizado em 29/11/2021, 13:42 | Autor: Redação

Em entrevista coletiva no Martagão Gesteira, em Salvador, nesta segunda-feira, 29, onde assinou o contrato de aquisição de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse não enxergar a nova variante do vírus sars-cov-2, chamada “Ômicron”, como motivo para desespero. “É variante de preocupação, não uma variante de desespero, pois temos um sistema de saúde que pode dar as respostas no caso de uma variante dessa ter letalidade um pouco maior”, disse.

Queiroga enxerga que o cuidado com a “Ômicron” deve ser o mesmo que havia com a Delta, em maio, embora naquela ocasião houvesse mais restrições do que agora. “A ciência ainda não nos deu todas as respostas”.

O ministro enxerga que não há motivo para antecipar a terceira dose nem que seja momento para confirmar novos benefícios sociais por conta do período com a nova variante. Segundo ele, saúde e economia devem andar juntas. “Eles [os benefícios sociais] não são concedidos em função de variantes do coronavírus, mas da necessidade do povo brasileiro”, disse o ministro.

Publicações relacionadas