Salário médio de contratação pelo regime da CLT cai 5,6% em um ano

Novos contratados estão recebendo menos

Publicado terça-feira, 05 de julho de 2022 às 09:33 h | Atualizado em 05/07/2022, 09:33 | Autor: Da Redação
A taxa de desemprego no Brasil caiu para 9,8% no trimestre encerrado em maio
A taxa de desemprego no Brasil caiu para 9,8% no trimestre encerrado em maio -

Além do aumento da informalidade no Brasil nos últimos anos, os trabalhadores que conseguem emprego de carteira assinada, em regime CLT, estão recebendo menos. É o que mostra o levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência. 

De acordo com o levantamento, o salário médio de contratados com carteira assinada teve uma queda de 5,6% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados apontam que a média salarial em maio de 2022 ficou em R$ 1.898, enquanto no ano passado correspondia a R$ 2.010.

Os maiores salários são pagos nos segmentos: setor de organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais (a partir de R$ 5.682); setor de eletricidade e gás (R$ 3.944) e o setor de atividades financeiras (remuneração média de R$ 3.940). 

Já os menores salários são de empregados domésticos que recebem em média R$ 1.343; o setor de alojamento e alimentação, que paga R$ 1.494; e o setor de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com remuneração inicial média de R$ 1.645.

Apesar dos salários menores, a taxa de desemprego no Brasil caiu para 9,8% no trimestre encerrado em maio, a menor taxa para o período desde 2015, quando o índice registrado foi de 8,3%. Os dados são de levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Publicações relacionadas