Livro e exposição relembram passagem de José Saramago por Salvador

Evento possui fotos inéditas do fotógrafo Xando Pereira, do Grupo A TARDE

Publicado sexta-feira, 08 de julho de 2022 às 07:00 h | Atualizado em 08/07/2022, 00:18 | Autor: Victor Hernandes*
O Nobel de Literatura futuca mercadorias no Mercado Modelo
O Nobel de Literatura futuca mercadorias no Mercado Modelo -

A literatura mundial está em festa celebrando os 100 anos do escritor português José Saramago. A Bahia, terra por onde o escritor passou férias e tinha grande relação, não poderia ficar de fora. Por isso, o Consulado-geral de Portugal na Bahia, junto com a Companhia das Letras, Casa do Rio Vermelho e o Instituto Camões apresentam nesta sexta, exposição fotográfica Amado Saramago - uma visita à Bahia, com fotos inéditas do fotógrafo de A TARDE Xando Pereira sobre a histórica visita de Saramago à Bahia. Junto com a exposição, o livro Saramago, os seus nomes, de Ricardo Viel, também será lançado nesta sexta, às 17h, na Casa do Rio Vermelho.

Além das fotografias memoráveis do fotojornalista Xando Pereira, a mostra reúne objetos pessoais, vestimentas e cartas trocadas entre o escritor português e o autor baiano Jorge Amado. De acordo com o Cônsul de Portugal na Bahia, Jorge Fonseca, a exposição foi idealizada para revelar a dimensão humana de Saramago, durante sua passagem na capital baiana.

“Esta mostra insere-se nas comemorações do centenário do nascimento de José Saramago. No caso de Salvador, logo no início pensei num formato diferente para celebrar, saindo um pouco do meio académico de palestras e conferências, trazendo ao público a dimensão mais pessoal de José Saramago, que a maioria das pessoas desconhece, incluindo muitos dos seus fiéis leitores”, conta. 

A ideia da mostra surgiu após diálogo do cônsul com o jornalista português e colaborador na área cultural Ricardo Oliveira Duarte. Depois de revelar o desejo de homenagear o escritor de Portugal, Jorge foi surpreendido pelo jornalista, que lhe informou da existência das fotografias de Saramago, registradas por Xando.

“Em conversa com o jornalista português, vi que ele sabia o que eu pretendia. Eram fotos inéditas de Saramago na sua visita a Salvador em 1996, tiradas pelo fotógrafo baiano Xando Pereira, do Jornal A TARDE. A partir daí, e em dois encontros com Ricardo e Xando, a exposição passou do imaginário à realidade”, explica Fonseca. 

As imagens feitas por Xando são inéditas e estavam arquivadas por ele há mais de 20 anos. Alguns registros que não foram aproveitados em outras obras serviram exclusivamente para a curadoria da exposição, realizada pelo próprio Xando, em conjunto com Ricardo Duarte e Jorge Fonseca. 

“Ricardo, que mora aqui em Salvador, me procurou propondo fazer uma exposição de Saramago, com as fotos que não tinham sido utilizadas no livro Saramago, os seus nomes. Fiz a seleção, apresentei para ele e para Jorge, depois selecionamos nove fotos. Foi uma curadoria feita por nós três”, relata Xando. 

As imagens registradas pelo fotojornalista em 1996 trazem a visita de Saramago ao Mercado Modelo. A emoção e o sentimento por registrar os momentos do português com Jorge Amado, em Salvador, também foram exaltados por Xando.

“A emoção de estar com José Saramago e Jorge Amado foi um sentimento ímpar. Tive a oportunidade de estar com ele, um Prêmio Nobel de Literatura. Aquele cara tranquilo, simples e simpático, que era um grande apreciador das artes. Ele e Jorge se divertiram e passearam bastante. Foi uma coisa muito fantástica e bacana” revela.

Em mais de duas décadas, este momento ainda carrega uma grande representatividade, por ter coroado a carreira de Xando, como ele explica.

“É um exemplo isso. É muito significativo pra mim. Fui muito grato por ter visto este mestre. Essas fotos estavam guardadas a 26 anos. Mostrou para minha carreira que ter arquivos e preservar registros é muito bom. Até hoje tem grande significado para mim”, afirma o profissional.

O livro

A obra literária Saramago, os seus nomes, de Ricardo Viel e Alejandro García, também contém fotos do escritor durante sua passagem pela capital baiana. O livro nasceu após os autores perceberem a ausência de uma fotobiografia do português.

“Conversando com Alejandro, vimos que faltava uma fotobiografia e precisávamos pensar nisso para o centenário de Saramago. Quando começamos a trabalhar no projeto, não sabíamos como o livro iria se desenrolar. Vimos que a obra não precisava ser cronológica. Recorremos a vários outros arquivos de fotógrafos privados. Nosso desejo com o livro era fazer um possível retrato do Saramago”, relata Viel. 

Segundo Ricardo, as fotos do autor português na Bahia foram as principais selecionadas, por conta das memoráveis férias que o autor passou em terras baianas, além de sua amizade com Jorge Amado.

“Depois de diversos convites de Jorge Amado, Saramago resolveu fazer uma viagem mais demorada e tirar férias na capital baiana. Na Bahia, ele passeou muito. Escolhemos essas fotos dele em Salvador, porque foi um lugar especial e marcante para ele. Durante este trabalho de procurar imagens encontrei essas fotos que o Xando tinha feito de Saramago. Ele me contou que tinha fotos inéditas do poeta pelo centro histórico de Salvador. Escolhi algumas para o livro e surgiu a ideia de fazer a exposição dele também”, comenta.

O lançamento da exposição Histórias inéditas: Amado Saramago – Uma visita à Bahia e o livro Saramago, os seus nomes, acontece hoje, às 17h, na Casa do Rio Vermelho, em Salvador.

A exposição funciona de terça-feira a domingo, das 10h às 18h, com entrada até às 17h. O ingresso custa R$ 20 e há meia entrada para idosos, estudantes e moradores de Salvador que apresentem comprovante de residência. Já às quartas-feiras a visitação tem entrada gratuita.

*Sob a supervisão do editor Chico Castro Jr.

Publicações relacionadas