Olívia Santana elogia Ilê Aiyê: “Fundamental para nossa autoestima” | A TARDE
Atarde > Carnaval

Olívia Santana elogia Ilê Aiyê: “Fundamental para nossa autoestima”

Deputada estadual marcou presença na saída do bloco no Curuzu

Publicado sábado, 10 de fevereiro de 2024 às 20:23 h | Autor: Fernando Valverde e Eduardo Dias
Para a parlamentar, o Ilê é fundamental para a afirmação do povo preto
Para a parlamentar, o Ilê é fundamental para a afirmação do povo preto -

A deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) marcou presença neste sábado, 10, na Senzala do Barro Preto, sede do Ilê Aiyê, no Curuzu, e aproveitou para elogiar o bloco. Para a parlamentar, o Ilê é fundamental para a afirmação do povo preto. Ela definiu o bloco como símbolo de força e autoestima.

“Se há uma palavra é força, é autoestima. O Ilê é fundamental para reconstruir a nossa autoestima e a nossa dignidade. Ilê é pura dignidade preta. O racismo trabalha para nos destruir. E uma das maiores estratégias de destruição e desmobilização é quando você passa a não acreditar em você. A não acreditar que você pode. E o Ilê faz exatamente o contrário. Ele resgata essa força interior que todo povo preto tem e aponta um caminho de empoderamento, de resgate da nossa identidade, a nossa ancestralidade negra, africana, não como um prejuízo, como a colonização nos fez acreditar, mas como uma riqueza, como algo que nos ergue e nos faz tomar nas mãos o nosso destino. É luta, é resistência e é conquista”, afirmou a deputada. 

Olívia também fez um prognóstico dos blocos afros para os próximos 50 anos. Neste Carnaval, os blocos afros completam 50 anos de desfiles em Salvador. 

“Eu imagino os blocos afros em um país diferente, em um país novo. Tudo isso que está sendo plantado tem que resultar em reparação, em transformação radical da nação. O século XXI tem que ser o século da reparação. O século XX foi o século em que nós denunciamos com contundência as mazelas do racismo. Todo mundo sabe hoje que o Brasil é um país racista. Ao tomar consciência dessa realidade é preciso ter atitude de transformação, então os próximos 50 anos precisam ser de reposicionamento do povo preto, esses espaços de poder político, econômico, no mundo do emprego, do trabalho, em todas as áreas da vida social”, pontuou.

Publicações relacionadas

MAIS LIDAS