Tradição de Maragogipe, o Carnaval dos Mascarados tem concurso anual | A TARDE
Atarde > Carnaval

Tradição de Maragogipe, o Carnaval dos Mascarados tem concurso anual

Escolha das melhores fantasias individuais e de grupos é marco do encerramento do evento

Publicado quarta-feira, 14 de fevereiro de 2024 às 06:00 h | Autor: Miriam Hermes
Imagem ilustrativa da imagem Tradição de Maragogipe, o Carnaval dos Mascarados tem concurso anual
-

Os festejos carnavalescos de 2024 terminaram ontem na maioria das localidades do interior baiano.  Em Maragogipe, a terça-feira de Carnaval marcou também a etapa final do concurso de fantasias, que movimentou a Praça dos Mascarados. 

Conhecida como Carnaval dos Mascarados, a festa na cidade é tombada como patrimônio cultural do estado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), desde 2009. 

A melhor fantasia individual, a retrô, o mascarado individual e a máscara de chifres estão entre as categorias da disputa que reúne moradores e visitantes. Também foram apontados os melhores grupos de mascarados, de fantasias, infantil, retrô e das almas.

Imagem ilustrativa da imagem Tradição de Maragogipe, o Carnaval dos Mascarados tem concurso anual
 

O concurso foi organizado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e contou com mais de mil inscritos, que foram avaliados pelos jurados desde o último domingo, sempre ao som das marchinhas e frevos tradicionais. 

“Com todo o corpo coberto para não revelar a identidade, eles (os mascarados/fantasiados) brincam por três dias”, explicou o folião Vitor Santana, que é estudante de publicidade e ropaganda da UFRB e coleciona vitórias no concurso.

Imagem ilustrativa da imagem Tradição de Maragogipe, o Carnaval dos Mascarados tem concurso anual
 

Neste carnaval ele não saiu fantasiado, porque está produzindo um livro de fotografias sobre a festa e está trabalhando neste projeto. “Interessante observar que a criação da fantasia é um trabalho do brincante”, pontuou, acrescentando que é usual que todos os anos os foliões produzam uma nova fantasia. Conforme Vitor,  eles trabalham  entre 3 e 4 meses nesta produção. 

A tradição se renova com a oportunidade das novas gerações aprenderem a confecção das alegorias, através de cursos e oficinas gratuitos com organização da Sociedade Filarmônica Terspicore Popular. A instituição foi fundada em 13 de junho de 1880 e tem atuação forte na criação da festa e manutenção da sua originalidade.

Para garantir a segurança dos festejos, a utilização das fantasias com máscaras e caretas só foi permitida no período diurno, até às 18h30, no perímetro da festa entre 09 e 13 de fevereiro. Vale destacar que no espaço Arena Carnavalesca, praça Ermezindo Mendes, aconteceram apresentações de atrações locais e nacionais com as músicas do carnaval contemporâneo.

Publicações relacionadas