Menu
Pesquisa
Pesquisa
Busca interna do iBahia
HOME > colunistas > A TARDE AVENTURA
COLUNA

A TARDE Aventura

Por Selma Morais

ACERVO DA COLUNA
Publicado Friday, 20 de October de 2023 às 0:30 h | Autor:

Caminho da Paz completa 20 anos de atividades

Peregrinos voltam para trilha no Vale do Jiquiriçá

Ouvir Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Facebook Compartilhar no X Compartilhar no Email
Essa linda Capela fica no trecho entre os municípios de Mutuípe e Jiquiriça, no quarto dia do Caminho da Paz
Essa linda Capela fica no trecho entre os municípios de Mutuípe e Jiquiriça, no quarto dia do Caminho da Paz -

Em meados de 2003 o médico e psicoterapeuta Antônio Presídio, fundador do Projeto Sementes e a peregrina Maria de Lourdes Nascimento resolveram se unir na realização de um sonho: criar uma trilha para meditação, reflexão e autoconhecimento.

Muitas conversas e algumas pesquisas e surgia o Caminho da Paz, que deslumbra a beleza do Vale do Jiquiriça, em 127 km de uma trilha difícil, mas de rara beleza e que hoje, 20 anos depois, é uma das mais procuradas pelos peregrinos baianos e de outros estados.

No próximo dia 29 de outubro, mais um grupo de aventureiros vai fazer o Caminho da Paz, desta vez para comemorar os 20 anos de criação dessa importante trilha que hoje serve como um dos principais desafios, para quem pretende fazer grandes peregrinações, como o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha ou o Caminho da Fé, em São Paulo.

O Caminho da Paz integra a zona turística do Vale do Jiquiriça e o marco zero é na cidade de Amargosa, a 238 km de Salvador.

Como a trilha em 2019 passou a ser administrada pela Associação Bahiana dos Amigos do Caminho de Santiago (Abacs), tudo está sinalizado e o peregrino pode fazer o caminho sozinho.

O início da trilha é na saída da Pousada do Bosque, tendo como ponto de referência a Igreja Matriz de Amargosa. No primeiro dia o destino é o Alto da Lagoinha, a 25 km, com uma altimetria de 365 metros. Nesse povoado o peregrino dorme duas noites.

O Caminho da Paz pode ser percorrido em seis dias, mas o tempo total depende de cada peregrino e do ritmo que ele empreender na caminhada. A trilha é considerada de média a alta dificuldade, especialmente pela altimetria, uma vez que existem muitos morros a serem percorridos, chegando até a 610 metros de altitude.

E essa altitude máxima se alcança no segundo dia da trilha, quando se percorre do Alto da Lagoinha até o Morrinho de São José. O percurso é curto, apenas 13 km (ida e volta), mas a altitude é grande e exige muito do corpo do peregrino.

Ao vencer esse desafio, o peregrino é presenteado com uma bela vista e a Capela de São José, se transformando num dos principais momentos de meditação do caminho.

Depois dessa visita e mais uma noite no Alto da Lagoinha, a trilha vai até a cidade de Mutuípe e na sequência Jiquiriça, Ubaíra e finalmente, após seis dias de aventuras, a chegada na Pousada Thea, o antigo Projeto Semente, que deu início ao Caminho da Paz.

Assuntos relacionados

A TARDE Aventura

Compartilhe essa notícia com seus amigos

Compartilhar no Email Compartilhar no X Compartilhar no Facebook Compartilhar no Whatsapp

Tags

Assine a newsletter e receba conteúdos da coluna O Carrasco