A Bahia. O turismo e os aeroportos | A TARDE
Atarde > colunistas > Armando Avena

A Bahia. O turismo e os aeroportos

Confira a coluna do economista Armando Avena desta quinta-feira, 1

Publicado quinta-feira, 01 de fevereiro de 2024 às 05:30 h | Autor: Armando Avena
Imagem ilustrativa da imagem A Bahia. O turismo e os aeroportos
-

A movimentação de passageiros nos aeroportos é um indicador de potencial turístico e dinamismo econômico. A Bahia é um player nessa área e basta ver a quantidade de turistas chegando para o Carnaval para ter certeza disso. E, no mapa dos aeroportos, a Bahia tem uma vantagem competitiva: abriga dois dos maiores aeroportos do Nordeste. 

O primeiro é o aeroporto de Salvador, o 2º maior da região, com uma movimentação de 6,8 milhões de passageiros domésticos (embarque e desembarque) em 2023, um crescimento de 9% em relação a 2022, desempenho melhor que o do aeroporto de Recife, com 8,5 milhões de passageiros, com incremento de 3%. Mas se a comparação for entre estados, a movimentação de passageiros na Bahia é a maior do Nordeste, por conta dos aeroportos regionais, como Porto Seguro, Ilhéus, Vitória da Conquista e outros. 

O 2º maior aeroporto da Bahia e o 6º maior do Nordeste é o aeroporto de Porto Seguro, que registrou uma movimentação de 2 milhões de passageiros em 2023, quase igualando-se ao terminal de Maceió. O aeroporto de Porto Seguro tem a 3ª rota mais movimentada da Bahia em direção a Guarulhos, com cerca de 350 mil passageiros em 2023. As rotas que lideram são as de Salvador para Congonhas e para Guarulhos. 

Infelizmente, o aeroporto de Porto Seguro tem condições precárias e não consegue atender a demanda reprimida. Quando conseguir, se tornará o quarto maior aeroporto do Nordeste.

O governo do Estado está ciente e já anunciou a construção do novo aeroporto internacional da Costa do Descobrimento, em Santa Cruz Cabrália, através de uma Parceria Público-Privada cujo vencedor manterá a operação do atual terminal, ao tempo em que constrói um novo. 

A secretária de Infraestrutura apresentou a 1ª versão do projeto e, instado pelo TCE, está atualmente fazendo ajustes para apresentar o projeto na Bolsa de Valores de São Paulo no 2º semestre.  Será um ótimo negócio para os investidores e um grande passo para tornar a Bahia o terceiro maior polo turístico do Brasil, potencializando o que Porto Seguro já é: o point mais querido do Brasil para paulistas, mineiros e argentinos.

Por outro lado, o aeroporto de Salvador vem apresentando bons resultados desde que a Vinci Airports assumiu a concessão. Em 2023, registrou uma movimentação de 290 mil passageiros internacionais (embarque e desembarque), um incremento de 67% em relação a 2022. O aeroporto de Recife lidera com uma movimentação de 303 mil passageiros e um incremento de 80%. 

Mas isso acontece porque a TAP vem priorizando Recife, tornando-a seu hub de distribuição entre as capitais nordestinas, com maior número de decolagens e aviões mais modernos. 

Trabalho conjunto

No entanto, as demais rotas internacionais ligando Salvador a Madri e a Buenos Aires atraem o dobro de passageiros do que todas as outras rotas saindo do Recife. Assim, se for feita uma ação promocional forte, em breve Salvador vai superar Recife, até porque antes da pandemia chegou a receber 100 mil argentinos, três vezes mais que este ano. Todos os dados são da Anac.

No âmbito doméstico, Salvador também avança, mas é preciso um trabalho conjunto entre a Prefeitura de Salvador e o governo do Estado para promover o destino Bahia e atrair mais rotas e destinos. Agregue-se ao esforço em busca de maior movimentação, a ação do Centro de Convenções de Salvador que vem realizando um excelente trabalho de atração de eventos e a ampliação das rotas regionais, que vem sendo feita pelo governo do Estado. Esse é o cenário, mas 2024 não vai ser fácil para a aviação, com o preço das passagens nas alturas e a recuperação judicial da Gol. 

Publicações relacionadas