ACB-Sustentabilidade convoca sociedade para debater mudanças climáticas

Publicado quarta-feira, 07 de outubro de 2020 às 06:05 h | Atualizado em 06/10/2020, 22:01 | Autor: Paulo Sérgio França Cavalcanti*

Não é difícil perceber que fenômenos naturais como tempestades, inundações e furacões se tornaram mais freqüentes, e já não podemos negar que a ação do homem é a “mola motriz” do aquecimento global. É nesse contexto que a Prefeitura de Salvador, através da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência, esta elaborando o Plano de Mitigação e Adaptação as Mudanças do Clima (PMAMC).

O engajamento das organizações públicas e privadas, ONGs, Associações e lideranças comunitárias tem sido, e continuará sendo, fundamental para legitimar o PMAMC como instrumento catalisador de todas as ações positivas em Salvador.

O desafio é implantar a economia de baixo carbono, garantir a qualidade do meio ambiente e o equilíbrio ecológico, e ao mesmo tempo preservar os setores produtivos e o desenvolvimento econômico-social. A ACB-Sustentabilidade não só acredita que isso é possível como tem o exemplo dentro de casa; a Carbonor, maior produtora de bicarbonato da America do Sul, inaugurou em Maio deste ano uma nova unidade para a autogeração de dióxido de carbono de origem natural. A unidade será uma das primeiras no mundo a capturar o dióxido a partir das emissões de um sistema de calcinação de calcário. O processo proporciona uma redução de mais de 75% no uso de combustíveis fósseis, gerando 100% de sua energia térmica a partir da biomassa e outras fontes renováveis. Esta nova rota tecnológica habilita a empresa à condição de “Empreendimento Verde”, tornando-a elegível para geração de créditos de carbono.

Iniciativas como essa provam que é possível associar o desenvolvimento econômico à preservação ambiental. Além de iniciativas na área industrial, precisamos seguir incentivando buscas por eficiência energética, reaproveitamentos e reciclagens de materiais, mas principalmente, priorizando a questão dos transportes, afinal esse é de longe o maior responsável pela mudança do clima em nossa cidade com 65% das emissões em só em 2018.

Alternativas como bicicletários nas estações de ônibus e metrôs, criações de ciclofaixas seguras nas principais avenidas da cidade são alguns caminhos a serem seguidos. Mas, além disso, um bom Plano Climático deve ser transparente e verificável, com metas que possam ser medidas, daí a importância de termos um programa de inspeção veicular capaz de gerar e fiscalizar esse número.

O tema “Sustentabilidade” já é pauta obrigatória na agenda dos Governos e de todas as organizações publicas e privadas, trata-se de interesse comum a todos os países, a todas as raças e a todos os credos. Estamos prestes a viver uma nova revolução, a Revolução Verde, e o desafio será integrar a sustentabilidade ambiental, econômica e social em um único conceito.

*Paulo Sérgio França Cavalcanti é Presidente da Carbonor, membro do Conselho Diretor da ABIQUIM e integrante de Núcleo de Sustentabilidade da ACB

Publicações relacionadas