adblock ativo

Rio Vermelho seria o coração de Salvador

Publicado às | Atualizado em 07/10/2021, 13:10 | Autor: Marcos Vieira Lima, empresário e diretor da Ademi/BA
Marcos Vieira Lima, empresário e diretor da Ademi/BA. | Foto: Acervo pessoal
Marcos Vieira Lima, empresário e diretor da Ademi/BA. | Foto: Acervo pessoal -
adblock ativo

Da origem do Rio Vermelho, com seus poucos habitantes, entre eles índios e jesuítas, e suas paisagens de currais e armações de peixes, o bairro continua a preservar as belezas naturais debruçadas no mar das mais belas praias da cidade. O terceiro local com o metro quadrado mais valorizado de Salvador, com sua alegria durante o dia e principalmente à noite, onde as pessoas ocupam suas praças e restaurantes, cheio de atrações naturais, artísticas e culturais, seria o coração da capital baiana, se ela fosse um corpo humano.

Batizado de Rio Vermelho, tendo inspiração as águas vermelhas do Rio Camurujipe, o vilarejo cresceu, virou bairro e continua crescendo, se movimentado, atraindo turistas, moradores e artistas, seduzidos pelo mar, pela brisa, pelos largos, pelo acarajé e abará, pela Festa de Iemanjá, folia dos Palhaços em prévia de Carnaval e a vibração do lugar.  Moradores famosos, entre eles, Jorge Amado e Zélia Gattai, Caetano Veloso e Gal Costa, também ajudaram a torná-lo mais desejado e assim ainda o é.

O Rio Vermelho atraiu moradores anônimos, famosos ilustres, visitantes estrangeiros e continua a seduzir e a ser desejado. As praias da Paciência e do Buracão, os largos de Santana e da Mariquita, os bares e restaurantes, a nova Vila Caramuru, antigo Mercado do Peixe; a Varanda do Teatro do Sesi com sua cantoria; a Igreja de Sant’Anna e a Casa do Rio Vermelho, onde Jorge e Zélia moraram e, atualmente, é casa-museu, abrigando e preservando a memória do casal de escritores baianos, são atrativos da região. 

O casario antigo e os prédios com arquitetura mais moderna convivem juntos. O Palacete Rosa, na Praça Colombo, antiga Casa Branca, construída na primeira metade do século XX por Artur Palácio, homem muito rico e de intensa vida social, chama a atenção de quem passa. Como não admirar a beleza da fachada do palacete, em estilo neoclássico, os vitrais belgas coloridos, os jarros e as estatuetas em faiança portuguesa no alto?

O último lançamento imobiliário na região foi em 2018 e os imóveis mais atuais devem ter cerca de 10 anos de construídos. Quem é morador não quer sair de lá e os visitantes apaixonados pelo bairro querem ser moradores, pertencerem ao lugar. Por isso acredito que há uma forte demanda por imóveis na região. Como empresário do segmento imobiliário, há mais de 20 anos, vejo oportunidades no Rio Vermelho. Acredito que o bairro pode ser ainda melhor e para contribuir com sua valorização e modernização, tenho planos.

No alto do Rio Vermelho, o residencial RV Conceito será construído para atender à demanda de novos imóveis no bairro e do alto do Rio Vermelho vejo a possibilidade de se viver bem, com leveza, comodidade, praticidade e muita alegria. O empreendimento será lançado em uma live no canal do YouTube dia 19 deste mês de outubro, às 19h, com palestra de Marcus Araújo, pensador e futurista do morar, apresentação do produto e show de encerramento com Alexandre Leão. A inscrição para o evento pode ser feita no site: rvconceito.com.br/clientes-e-investidores/.

adblock ativo

Publicações relacionadas