Resenha rubro-negra - Em reformulação, de novo

Como bem Geninho disse na sua apresentação, a situação agora é completamente diferente, “pior”

Publicado sexta-feira, 01 de abril de 2022 às 06:00 h | Atualizado em 31/03/2022, 21:11 | Autor: Angelo Paz | Jornalista | [email protected]
Como bem Geninho disse na sua apresentação, a situação agora é completamente diferente, “pior”
Como bem Geninho disse na sua apresentação, a situação agora é completamente diferente, “pior” -

Mais uma semana e a torcida rubro-negra já estará naquela efervescência novamente, agora até mais, já que vem por aí o grande momento do ano: a Série C. Aquela expectativa de o Vitória entrar como favorito ao título ficou ofuscada pela péssima campanha no Baiano. O baque foi tão grande que o clube tomou uma série de atitudes para evitar um vexame na competição em que não pode, de jeito nenhum, vacilar. 

A chegada de Geninho de imediato  passa, sim, um ar de confiança. O treinador, de muita identificação com o clube, tem experiência de sobra e a confiança da torcida, principalmente pelos bons números em sua última passagem pela Toca, entre 2019 e 2020. Demitido pelo ex-presidente Paulo Carneiro sob a justificativa da crise financeira provocada pela pandemia da Covid-19, o treinador deixou o Leão com 50,6% de aproveitamento após 25 jogos no comando. Parte deles na Série B de 2019, quando veio para salvar o time do rebaixamento, e outra na reestruturação da equipe para 2020.  

Mas, como bem Geninho disse na sua apresentação, há pouco mais de 10 dias, a situação agora é completamente diferente, “pior”. A estreia difícil na Copa do Brasil, com a vitória nos acréscimos contra o Glória-RS, deu ao treinador a certeza da necessidade de reforços e uma reformulação no elenco. E a diretoria, ciente que errou em parte das contratações que fez na correria no final do ano passado, sabe que não terá margem para novos equívocos para a sequência do ano. Até aqui, dois anúncios, de jogadores com experiência: o meia Gustavo Blanco, 27, e o lateral esquerdo Guilherme Lazaroni, 29.  

Conhecido por ter iniciado a carreira no Bahia, Blanco desperta diferentes expectativas em seu retorno a Salvador. Tecnicamente já mostrou que é bom de bola, prova disso foi a titularidade no Atlético-MG e depois no América-MG. O que preocupa é o seu histórico de lesões. Entre 2019 e 2021, foram apenas 11 partidas disputadas. Nesta temporada, entrou em campo seis vezes pelo Londrina. Enquanto isso, Lazaroni, que estava no Novorizontino, chega para, quem sabe, ser o lateral que vai se firmar na esquerda. Salomão, que iniciou o ano como titular, tende a ser dispensado, assim como outros quatro jogadores. O zagueiro Alisson Cassiano, também titular no início do ano, já se despediu do clube.  

São reformulações que acontecem, infelizmente, no meio da temporada, algo que o Vitória queria evitar mais uma vez este ano. De positivo, há o tempo razoável de preparação em virtude da eliminação no estadual. Ao todo, Geninho terá entre 16 e 17 dias de trabalho até a estreia na Série C, contra o Remo.

Bloqueado

A questão financeira é sempre pauta no Vitória, e nessa última semana não tem sido diferente. Nada de Pix de R$ 1,9 milhão da CBF pelo avanço à terceira fase da Copa do Brasil. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou o bloqueio do valor da premiação  em decorrência de parcelas não quitadas pelo Leão do Acordo Global firmado com credores trabalhistas.

Agora é tentar passar pelo Fortaleza na terceira fase pra ver se consegue um novo montante milionário.  Se isso não acontecer, a previsão é que a conta do Vitória só seja reforçada em agosto, com o pagamento de 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 7,3 milhões) feito pelo Metalist, da Ucrânia, pela venda de David.

Publicações relacionadas